pplware.sapo.ptpplware.sapo.pt - 24 jan. 21:00

ChatGPT não é nada de revolucionário para o chefe de IA da Meta

ChatGPT não é nada de revolucionário para o chefe de IA da Meta

O chefe da Meta para a IA, Yann LeCun, disse que a proposta de chatbot da OpenAI, o ChatGPT, está longe de ser revolucionária.

O ChatGPT chegou no final do ano passado e surpreendeu leigos e entendidos. No entanto, o chefe da Meta para a Inteligência Artificial (IA) disse que a proposta de chatbot da OpenAI está longe de ser revolucionária.

Além disso, mencionou que não é tão inovador quanto as pessoas o veem.

Pelas suas capacidades, mas também pela curiosidade que desperta, o ChatGPT tem feito sucesso e amedrontado empresas que estão mais do que posicionadas, tecnologicamente. De facto, tornou-se tema diário, alvo de testes e até objeto de investigações.

Apesar do sucesso, para Yann LeCun, chefe da Meta para a IA, o ChatGPT não é isso tudo. De acordo com o Hipertextual, o cientista francês é pioneiro em áreas como a aprendizagem mecânica e profunda, neurociência computacional, entre outras.

Em termos de técnicas subjacentes, o ChatGPT não é particularmente inovador. Não é nada de revolucionário, embora seja assim que é visto pelo público. É que, sabe, está bem montado, está muito bem feito.

Disse LeCun, recentemente, ressalvando que não está a desvalorizar o trabalho que a OpenAI desenvolveu.

A OpenAI não é particularmente avançada, em comparação com outros laboratórios, de forma alguma. Não é apenas o Google e a Meta, mas existem meia dúzia de startups que têm basicamente tecnologia muito semelhante.

O chefe da Meta para a IA explicou que a OpenAI tem recorrido a tecnologias que foram desenvolvidas por outras empresas e aperfeiçoadas ao longo de muitos anos. Ora, apesar de não o apontar como algo negativo, LeCun alertou para o facto de isto motivar a indústria a não receber as novidades, como o ChatGPT e outros produtos, da melhor forma.

Para exemplificar, Yann LeCun explicou que o modelo de linguagem em que se baseia o ChatGPT, o GPT-3, foi criado a partir de estruturas da Transformer, desenvolvida pela Google. Por sua vez, esta baseou-se no trabalho de um informático canadiano chamado Yoshua Bengio.

Além disso, o chefe da Meta para a IA referiu que a técnica utilizada pela OpenAI para dar origem ao ChatGPT foi também originalmente implementada pela Google.

Ambas as empresas têm muito a perder se lançarem sistemas capazes de inventar coisas.

Respondeu LeCun, quando questionado sobre a razão pela qual a Google e a Meta não estão a tentar competir com o ChatGPT.

Leia também:

OpenIA prepara uma nova versão Premium do ChatGPT que vai custar 42 d��lares

NewsItem [
pubDate=2023-01-24 21:00:28.0
, url=https://pplware.sapo.pt/high-tech/chatgpt-nao-e-nada-de-revolucionario-para-o-chefe-de-ia-da-meta/
, host=pplware.sapo.pt
, wordCount=379
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2023_01_24_1990741230_chatgpt-nao-e-nada-de-revolucionario-para-o-chefe-de-ia-da-meta
, topics=[tecnologia, meta, ia, inteligência artifical, chatgpt, high tech]
, sections=[ciencia-tecnologia]
, score=0.000000]