www.publico.ptpublico.pt - 24 nov. 13:16

Replicação de autógrafos em livro de Bob Dylan gera polémica nos Estados Unidos

Replicação de autógrafos em livro de Bob Dylan gera polémica nos Estados Unidos

Editora Simon & Schuster retirou edição de coleccionador de The Philosophy of Modern Song do mercado e vai reembolsar os compradores que se sentiram enganados.

Os compradores dos 900 exemplares da edição limitada do novo livro de ensaios de Bob Dylan The Philosophy of Modern Song, que segundo a editora Simon & Schuster incluía um autógrafo do autor, começaram a recebê-los em casa na semana passada. E um deles estranhou a assinatura, desencadeando uma polémica que terminou com a editora a prometer o reembolso aos leitores lesados.

Conta o jornal norte-americano New York Times que Henry Bernstein, coleccionador que já tinha vários autógrafos do autor por isso reconhece bem a sua assinatura, foi um dos 900 compradores desta edição à venda por 600 dólares. Queria juntar o novo autógrafo de Dylan àqueles que já tem no álbum The Freewheelin’ Bob Dylan, numa fotografia do cantor e no songbook Bob Dylan: John Wesley Harding. Mas a sua surpresa foi grande quando percebeu que aquela assinatura na primeira antologia de ensaios de Bob Dylan desde que o músico ganhou o Prémio Nobel de Literatura em 2016 não lhe parecia genuína, embora a edição viesse acompanhada por uma carta assinada por Jonathan Karp, o CEO da Simon & Schuster, atestando a sua autenticidade. “Esta carta é a confirmação de que o exemplar do livro que tem nas suas mãos foi assinado à mão por Bob Dylan”, lia-se a negrito na missiva incluída em cada livro.

pic.twitter.com/s1buWZSTs8

— Simon & Schuster (@simonschuster) November 20, 2022

Só que a assinatura de Jonathan Karp pareceu-lhe “mais legítima do que a de Bob”, contou Henry Bernstein ao New York Times. Depois de algumas pesquisas, este e outros fãs e também especialistas, como Justin Steffman, fundador do Real Autograph Collectors Club, começaram a desconfiar que a assinatura de Bob Dylan afinal tinha sido feita por uma máquina que replica de forma digital assinaturas manuscritas.

Num primeiro momento, o departamento de atendimento ao cliente da editora Simon & Schuster, ao qual fizeram queixa, não lhes deu resposta positiva. Recusado o reembolso que reivindicavam, os compradores que se sentiram burlados decidiram mudar de estratégia. E por isso inundaram com queixas a caixa de correio de Jonathan Karp. No seguimento desse email, Henry Bernstein recebeu uma resposta pessoal do CEO da Simon & Schuster, que prometia um reembolso rápido.

A polémica avolumou-se e, no domingo passado, o grupo editorial divulgou publicamente um comunicado em que reconhecia que a assinatura de Bob Dylan naquela edição era de facto “uma réplica escrita” e anunciava que quem tinha comprado o livro seria reembolsado. Esta edição de coleccionador deixou também de estar disponível para venda no site da editora e foi retirada do mercado.

O novo livro de Bob Dylan foi publicado a 1 de Novembro em língua inglesa e será publicado em Portugal pela Relógio D'Água.

NewsItem [
pubDate=2022-11-24 13:16:55.0
, url=https://www.publico.pt/2022/11/24/culturaipsilon/noticia/replicacao-autografos-livro-bob-dylan-gera-polemica-estados-unidos-2028962
, host=www.publico.pt
, wordCount=448
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_11_24_1920856280_replicacao-de-autografos-em-livro-de-bob-dylan-gera-polemica-nos-estados-unidos
, topics=[livros]
, sections=[vida]
, score=0.000000]