www.publico.ptpublico@publico.pt - 17 mar. 09:31

Sono, o parente pobre do sonho

Sono, o parente pobre do sonho

Sonhamos ser tudo e ter tudo e não conseguimos perceber que é o sono a verdadeira razão para podermos sonhar.

Hoje é Dia Mundial do Sono e, por isso, é uma ótima altura para falarmos em sonhos…

Nós, seres humanos, somos sonhadores! Em criança sonhamos ser grandes para podermos ficar acordados até tarde! Ouvimos dos nossos pais que temos de dormir para crescermos saudáveis! Eles que ficam acordados todos os dias até de madrugada e que se levantam antes de nós! E sim, crescemos a acreditar que só precisamos do sono para crescer, pois para os adultos, nossos modelos, o sono nunca é obrigatório!

Na adolescência e início da idade adulta sonhamos ser imortais! A vida é uma miríade de encontros sociais onde maturamos as emoções explorando-as ao limite… O dia, por vezes, começa apenas de madrugada, numa altura em que dizemos — “A noite é ainda uma criança!” … E nunca é boa altura para adormecer. Sonhar é permitido, mas dormir é para velhos!

A idade adulta traz responsabilidades… Trabalho, vida partilhada, filhos, despesas… e o dia transforma-se numa maratona de tarefas que nunca têm fim… A noite é para acabar tudo o que ainda não tivemos tempo de terminar e, se possível, procurar fazer um pouco de algo que nos dê prazer… O projeto pessoal! Aquela série que todos comentam! O jogo que nos distrai! A comida saborosa que ansiámos o dia todo! A conversa ou partilha nas redes sociais!

E, quando refletimos sobre a nossa vida, o sono começa a transformar-se em sonho! – “Ai quem me dera poder dormir!”. Mas dormir nunca é a primeira opção! Dormir é um luxo obscuro na nossa sociedade e, quando dormimos, acordamos culpados por todos os sonhos que não concretizamos durante essas poucas horas de sono!

Por fim, quando envelhecemos, rejeitamos a evolução normal do ritmo circadiano e entramos em luta com o nosso sono… Não queremos ir dormir quando o corpo manda porque todos nos criticam — “Tão cedo e já vais para a cama!? Pareces um velho de 100 anos!”. Contudo ficamos furiosos quando o sono termina a sua relação connosco, abruptamente, a meio da noite! No passado acordar às 5h da manhã era uma bênção, pois não faltava o que fazer no exterior, enquanto o sol não apertava… Agora resta tomar comprimidos na expectativa de poder prolongar o sono… E logo agora que temos tempo para dormir!

O sono é, pois, o parente pobre do sonho! Sonhamos ser tudo e ter tudo e não conseguimos perceber que é o sono a verdadeira razão para podermos sonhar… É durante o sono que o organismo exerce as principais funções reparadoras a nível cerebral, que nos permitem preservar as memórias e aprendizagens, bem como apreender e controlar a nossa capacidade motora e sensorial, ou seja, dormir diminui o stress, aumenta a capacidade de aprendizagem e coordenação motora, melhora o humor, aumenta a concentração e diminui o cansaço… fatores essenciais para nos mantermos saudáveis, sociáveis, cognitivamente ativos e com potencial para continuarmos a sonhar.

O sono modula, também, o sonho de preservar um corpo ideal e saudável, pois ajuda a controlar o peso e o apetite, aumenta a imunidade e resistência às doenças e diminui a pressão sanguínea e a propensão para desenvolver doenças cardiovasculares.

O sono é, pois, um pilar fundamental à vida e deve ser valorizado! E hoje é um ótimo dia para começar… Leia um pouco sobre Higiene do Sono e procure dormir… Amanhã vai acordar a sorrir!

O autor escreve segundo o Acordo Ortográfico de 1990

NewsItem [
pubDate=2023-03-17 09:31:00.0
, url=https://www.publico.pt/2023/03/17/impar/opiniao/sono-parente-pobre-sonho-2042296
, host=www.publico.pt
, wordCount=561
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2023_03_17_1668145242_sono-o-parente-pobre-do-sonho
, topics=[opinião]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]