www.jn.ptjn.pt - 26 jan. 07:58

Há mais alunos com computador no ensino público do que no privado

Há mais alunos com computador no ensino público do que no privado

O número de computadores nas escolas mais do que duplicou em 2020/2021 e a média de alunos por equipamento passou a ser mais baixa no público do que nos colégios privados, segundo um relatório do Conselho Nacional de Educação (CNE).

Depois de uma pandemia que obrigou as escolas a funcionarem à distância, o Governo acelerou a transição digital na Educação e adquiriu cerca de um milhão de computadores para distribuir pelos alunos.

Segundo o relatório "Estado da Educação 2021", divulgado hoje pelo CNE, há dois anos as escolas tinham já 628610 computadores, entre os estabelecimentos de ensino públicos e privados.

Olhando apenas para as escolas públicas, o número de equipamentos disponíveis (562.571) mais do que duplicou face ao ano letivo anterior, quando o CNE tinha contabilizado 236.322 computadores.

O reforço do parque informático foi tal que, a partir desse ano, a média de alunos por computador passou a ser mais baixa no setor público do que no privado, registando-se a maior diferença no 1.º ciclo, em que passou a haver 1,8 alunos por computador (eram 5,8 em 2019/2020) nas escolas públicas, contra 4,4 nos colégios.

Isto é, há mais computadores na escola pública do que no ensino privado. A tendência repete-se em todos os ciclos e mesmo no secundário, onde a diferença é menor - havia 2,1 alunos por computador no público, enquanto a média era 2,8 no privado.

No entanto, o CNE refere que, para cumprir os objetivos de assegurar o acesso às tecnologias digitais e à aquisição de competências, "não basta equipar as escolas com computadores", mas "importa também desenvolver abordagens pedagógicas que promovam a aquisição de competências digitais e experiências de aprendizagem ativas".

A propósito do parque informático das escolas, o relatório sublinha "uma enorme revolução" no ano letivo 2020/2021.

"Enquanto nos anos letivos precedentes os computadores de secretária, com mais de três anos, constituíam a maior parte dos dispositivos informáticos, no último ano os computadores portáteis passaram a ser os mais usados nas escolas (61,2%), a maior parte dos quais (56,2%) com três ou menos anos", refere o CNE.

Ainda no tema da digitalização, o relatório aponta que o número de licenças resgatadas para manuais escolares digitais cresceu 17% em 2021, registando-se um aumento ainda maior, de 34%, no 2.º ciclo.

"Este valor é significativo, sobretudo se se considerar que o número de alunos matriculados registou uma diminuição no mesmo período", aponta o CNE.

Apesar dos avanços, o nível de proficiência dos docentes em competências digitais ainda é baixo, alerta o órgão consultivo do Ministério da Educação, que destaca os domínios do ensino e aprendizagem, avaliação e promoção da competência digital dos aprendentes.

NewsItem [
pubDate=2023-01-26 07:58:00.0
, url=https://www.jn.pt/nacional/ha-mais-alunos-com-computador-no-ensino-publico-do-que-no-privado--15725126.html
, host=www.jn.pt
, wordCount=387
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2023_01_26_753242507_ha-mais-alunos-com-computador-no-ensino-publico-do-que-no-privado
, topics=[nacional, computadores, ensino]
, sections=[sociedade]
, score=0.000000]