observador.ptobservador.pt - 26 jan. 06:31

"Ursos Não Há": do Irão, com desalento, frustração e brilhantismo

"Ursos Não Há": do Irão, com desalento, frustração e brilhantismo

"Ursos Não Há" é o último dos filmes que Jafar Panahi rodou clandestinamente, antes de ser enviado para a cadeia por seis anos pelo regime teocrático do Irão. Eurico de Barros dá-lhe cinco estrelas.

A dado momento de “Ursos Não Há”, o novo filme do realizador iraniano Jafar Panahi (que está preso desde julho do ano passado, cumprindo uma sentença de seis anos de cadeia por “propaganda contra o regime”), e onde ele se volta a pôr em cena, vemo-lo de noite, sobre a linha invisível da fronteira entre o seu país e a Turquia, onde tem a equipa a rodar uma fita sob a sua supervisão remota. Panahi não dá o passo que poderia dar, não transpõe essa linha para se refugiar na Turquia e volta para trás, para a pequena aldeia fronteiriça em que se instalou para controlar o filme à distância. E vem-nos à cabeça uma frase que o realizador de “O Círculo” disse há alguns anos, quando ainda tinha liberdade para sair do Irão: “Não o faço porque sei que não me deixarão voltar”.

Apesar de estar proibido de trabalhar pelas autoridades iranianas, Jafar Panahi tem continuado a filmar clandestinamente, em sua casa e fora dela, aproveitando a miniaturização e a portabilidade das câmaras digitais. “Ursos Não Há” é o último filme feito antes do seu encarceramento. E tal como nos anteriores, é uma autoficção muito chegada à realidade, em que Panahi interpreta um cineasta com o seu nome, que alugou uma casa numa aldeola perto da fronteira da Turquia, para daí dirigir a equipa que está para além da fronteira, numa cidade situada a poucos quilómetros, a fazer uma fita. O tema: um casal de refugiados iranianos está à espera de conseguir passaportes falsos para fugir para França.

[Veja o “trailer” de “Ursos Não Há”:]

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.

NewsItem [
pubDate=2023-01-26 06:31:14.0
, url=https://observador.pt/2023/01/26/ursos-nao-ha-do-irao-com-desalento-frustracao-e-brilhantismo/
, host=observador.pt
, wordCount=306
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2023_01_26_1523403838_-ursos-nao-ha-do-irao-com-desalento-frustracao-e-brilhantismo
, topics=[cultura, cinema, estreia da semana]
, sections=[vida]
, score=0.000000]