visao.sapo.ptSARA NUNES - 25 jan. 14:48

Visão | A supermãe de Thomas

Visão | A supermãe de Thomas

É comum dizer-se que a vida humana é sagrada ou que as vidas das pessoas são preciosas, mas poucos agem em conformidade investindo na vida de outros seres humanos a sério. Mas as mães – e não propriamente as apenas progenitoras ou parideiras – são das poucas que o procuram fazer. E as que o fazem tornam-se sempre supermães

Conta-se que um dia o menino Thomas Edison no regresso da escola trouxe um bilhete o professor com a recomendação de o entregar apenas à mãe. Ela começou então a ler o bilhete em silêncio e os olhos ficaram rasos de água, até que se decidiu a ler o escrito em voz alta para o filho ouvir: “O seu filho é um génio. Esta escola é insignificante para ele e os professores não têm capacidades suficientes para o ensinar. Por favor, ensine-o você mesma.”

Muitos anos mais tarde Edison veio a tornar-se um dos maiores inventores do século. Depois de a mãe morrer Thomas resolveu dar uma limpeza na casa e arrumar os papéis até que descobriu uma carta dobrada no canto de uma gaveta. Movido pela curiosidade pegou nela, abriu-a e descobriu que era a velha carta que o professor do menino Thomas tinha enviado à sua mãe. A grande surpresa veio quando descobriu que, afinal, o conteúdo era completamente diferente do que a mãe lhe tinha lido: “O seu filho é muito confuso e tem problemas mentais, por isso não vamos permitir que ele volte à escola.”

Edison chorou durante horas e então acabou por escrever no seu diário: “Thomas Edison era uma criança confusa, mas graças a uma mãe heroína e dedicada, tornou-se o génio do século.”

Esta estória, a ser verdadeira, contém algumas lições fundamentais. Desde logo por que há pessoas que não sabem descobrir o potencial das crianças. No caso de educadores tal circunstância assume uma gravidade notória, pois podem comprometer o seu desenvolvimento e futuro. A primeira lição a retirar daqui é que seria bom que os nossos professores de hoje tivessem a sensibilidade necessária não apenas para descobrir o potencial dos seus alunos, mas também para ajudarem para a desenvolvê-lo em vez de se resignarem a baixar os braços perante as dificuldades e a desistir deles.

Mas o cerne da estória é a mãe que fez a diferença. Não sei se o fez por reconhecer o potencial do filho ou simplesmente por se recusar a desistir dele. .

MAIS ARTIGOS DESTE AUTOR

+ Um professor de História chamado passado

+ Costa e o cão

+ A Igreja Bolsonarista dos Últimos Dias

Os textos nesta secção refletem a opinião pessoal dos autores. Não representam a VISÃO nem espelham o seu posicionamento editorial.

NewsItem [
pubDate=2023-01-25 14:48:09.0
, url=https://visao.sapo.pt/opiniao/vestigios-de-azul/2023-01-25-a-supermae-de-thomas/
, host=visao.sapo.pt
, wordCount=379
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2023_01_25_1992054294_visao-a-supermae-de-thomas
, topics=[opinião, vestígios de azul, thomas edison]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]