observador.ptobservador.pt - 25 jan. 00:32

Polestar 2 melhora frente, potência e autonomia. E não só

Polestar 2 melhora frente, potência e autonomia. E não só

A Polestar apresentou a versão renovada da sua berlina 2, introduzindo-lhe uma nova frente, similar ao Polestar 3. Mas mais importante é o ganho de potência e de autonomia, além de outras surpresas.

A Polestar, o construtor que tem sede na Suécia, capital e fábricas na China e está cotado na bolsa de Nova Iorque, surpreendeu o mercado com a apresentação do renovado Polestar 2. De uma assentada, a berlina – que se assume como concorrente de modelos como o Tesla Model 3 e o BMW i4 – melhora a química das baterias e incrementa a sua capacidade (na versão Long Range), aumentando ainda a potência, a capacidade de arranque e a autonomia. No processo, reserva umas surpresas adicionais aos seus clientes, alterando a colocação do motor nas versões Single Motor e mudando o comportamento do modelo nas versões com dois motores e tracção AWD.

A alteração no modelo que mais salta à vista e em que este restyling se suporta é a nova grelha, que deixa de ser aberta como até aqui, passando a surgir fechada, pelo que não só é mais aerodinâmica, como alinha pela solução estética estreada pelo Polestar 3 e que a marca denomina Smart Zone, por incluir uma série de sensores. Pelas fotos reveladas, não são evidentes mais alterações no exterior do modelo, com o construtor a reivindicar mais equipamento, tanto de entretenimento, como de ajuda ao condutor.

Baterias não aumentam muito, mas são melhores

Decidida a melhorar a autonomia, a que os clientes são cada vez mais sensíveis, independentemente da velocidade de carregamento, a Polestar continua a oferecer o 2 com dois packs de baterias distintos, o Standard e o Long Range. O primeiro mantém a capacidade nos 69 kWh, para o segundo a incrementar de 78 para 82 kWh (mais 5,1%).

Este é o Polestar 2 que a marca vende até à chegada da nova versão, aguardada para o 3.º trimestre do ano

Mas o mais importante são as alterações na química dos acumuladores, o que os torna mais eficientes e capazes de recarregar com potências superiores, sendo a bateria pequena montada com células sul-coreanas da LG, enquanto a Long Range prefere as da chinesa CATL. Umas das vantagens é que a Standard, que até aqui recarregava a 116 kW, passa a poder ser alimentada a 135 kW, o que torna as paragens junto do posto de carga mais céleres. Na Long Range o ganho é ainda maior, uma vez que evolui dos anteriores 155 kW para 205 kW em DC (corrente contínua), sendo que em AC (corrente alternada) todas continuam nos 11 kW.

Mais potência com a traseira a ser favorecida

Não há grandes novidades na gama do Polestar 2, que continua a oferecer uma versão mais barata, a Standard Single Motor, além de três outras versões, todas elas com a bateria Long Range, que podia estar associada a apenas um motor (na versão Single Motor), ou a dois (na Dual Motor e na Dual Motor com Performance Pack).

A Standard Single Motor, a mais acessível da gama, deixou de instalar o motor no eixo dianteiro, deslocando-o para o traseiro, convertendo-se num RWD, com o construtor a perseguir um comportamento mais eficaz e divertido. Mas graças ao novos motores e inversores, o 2 está mais eficiente, o que lhe permite anunciar uma autonomia de 518 km, em vez dos anteriores 478 km. Mas não são apenas estes 40 km adicionais que tornam o mais barato dos Polestar 2 mais apetecível, uma vez que a potência também sobe, de 231 cv para 299 cv, com o binário a disparar de 330 Nm para 490 Nm e os 0-100 km/h a caírem de 7,4 para 6,2 segundos.

O Polestar 2 Long Range Single Motor mantém o mesmo motor, mas agora associado à bateria de 82 kWh, o que explica os muito interessantes 635 km de autonomia, em vez dos anteriores 551 km. O Long Range Dual Motor com tracção integral AWD também fica mais apelativo, sendo mesmo a versão que mais ganha face aos actuais, aumentando o alcance em 105 km. Tudo porque além dos novos motores mais eficientes e mais potentes (passam dos actuais 408 cv para 421 cv e de 660 Nm para 740 Nm), o motor frontal desliga-se para poupar energia, quando circula com pouca pressão no acelerador, por exemplo em auto-estrada, o que permite percorrer 592 km entre recargas, em vez de 487 km.

O mais desportivo dos Polestar 2, o Long Range Dual Motor com Performance Pack mantém os 476 cv, mas vê o binário subir de 680 para 740 Nm, o que faz com que os 0-100 km/h baixem de 4,4 para 4,2 segundos. Ainda assim, a autonomia é incrementada de 467 para 592 km.

O renovado Polestar 2 já se pode encomendar na generalidade dos mercados europeus, com as entregas a serem aguardadas para entre Julho e Setembro de 2023.

NewsItem [
pubDate=2023-01-25 00:32:35.0
, url=https://observador.pt/2023/01/25/polestar-2-melhora-frente-potencia-e-autonomia-e-nao-so/
, host=observador.pt
, wordCount=777
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2023_01_25_1955376803_polestar-2-melhora-frente-potencia-e-autonomia-e-nao-so
, topics=[polestar, atualidade, mercado, elétricos]
, sections=[actualidade]
, score=0.000000]