www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 25 nov. 13:31

Black Friday: uma dor de cabeça sem a análise de dados

Black Friday: uma dor de cabeça sem a análise de dados

Com o aproximar da Black Friday, a análise de dados por parte das lojas virtuais assume especial relevância neste período de promoções. Por exemplo, se pesquisou por um determinado produto há um mês, possivelmente, no próximo dia 25 de novembro, esse mesmo produto irá surgir em destaque nessa página, com um pop up a perguntar se ainda está interessado em comprar. A questão que se coloca é: como é que as empresas conseguem identificar os produtos em que estamos interessados?

A resposta é simples: graças à magia dos dados. Todas as pesquisas efetuadas pelos consumidores são guardadas numa base de dados que, posteriormente, são avaliadas por profissionais especializados cada vez mais necessários para as empresas. Neste processo, há uma série de aspetos que os analistas têm como foco: o perfil e o comportamento do consumidor para obter um serviço personalizado, identificação dos produtos com maior procura para estes surgirem em destaque, a previsão de tendências que é utilizada para tornar a oferta mais eficiente, e ainda, o tipo de dispositivos eletrónicos que os consumidores usam com o objetivo de melhorar o serviço. Estes são alguns dos elementos que são possíveis de analisar e que podem ter impacto nos resultados das vendas.

Atualmente, esta análise serve como base para qualquer decisão que seja tomada nas lojas virtuais e assume um papel importante na redução das perdas financeiras. Como tal, a função do analista de dados faz realmente a diferença no momento de delinear estratégias com base em conclusões. Esta é uma função extremamente importante durante todo o ano, mas, em ocasiões especiais como é o caso da Black Friday, ganha especial destaque e permite provar que grande parte das empresas que utilizam esta ferramenta estão mais próximas de obter sucesso devido à proximidade e ao serviço personalizado que o cliente tem à disposição.

Segundo dados recentes do estudo "Economia Digital em Portugal", espera-se que 54% dos consumidores realizem as suas compras através do online até ao final do ano. O comércio eletrónico (e-commerce) está a crescer a olhos vistos no país, e é por este mesmo motivo que as lojas virtuais têm de estar preparadas e ter as ferramentas necessárias para rentabilizar o negócio. A par deste crescimento, e de mão dadas com os analistas de dados, o cargo destes especialistas é atualmente dos mais procurados no mercado de trabalho.

A Black Friday, que se celebra já no próximo dia 25 de novembro, representa uma das grandes oportunidades de vendas para o comércio eletrónico. Consegue, agora, perceber que as promoções que serão lançadas foram alvo de uma análise criteriosa e de uma verdadeira personalização? Uma empresa que aposta de forma estratégica em análise de dados conseguirá apresentar aos consumidores exatamente aquilo que eles procuram. É caso para dizer que, tendo em conta o crescimento do e-commerce em Portugal, preparar uma Black Friday - ou qualquer outra época festiva - sem o recurso a análise de dados seria realmente uma grande dor de cabeça.

Deixo, por último, um conselho a quem olha para esta área com um "brilho nos olhos": arrisquem e procurem formação em análise de dados. Se descodificar números e criar histórias com impacto para as empresas é um objetivo, a área tecnológica espera por vocês!

José Alexandre Pereira, professor do bootcamp de Data Analytics na Ironhack

NewsItem [
pubDate=2022-11-25 13:31:00.0
, url=https://www.dinheirovivo.pt/opiniao/black-friday-uma-dor-de-cabeca-sem-a-analise-de-dados-15387578.html
, host=www.dinheirovivo.pt
, wordCount=462
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_11_25_782624150_black-friday-uma-dor-de-cabeca-sem-a-analise-de-dados
, topics=[opinião, economia]
, sections=[opiniao, economia]
, score=0.000000]