mag.sapo.ptmag.sapo.pt - 25 nov. 14:11

Emma Corrin, da série "The Crown", apela aos prémios de cinema para que acabem com distinção de género nos atores

Emma Corrin, da série "The Crown", apela aos prémios de cinema para que acabem com distinção de género nos atores

Intérprete da Princesa Diana na quarta temporada da série espera que as categorias de Melhor Ator e Melhor Atriz nos principais prémios de cinema venham a acabar no futuro....

Emma Corrin, que interpretou a Princesa Diana na quarta temporada da popular série da Netflix "The Crown", apelou para que acabe a distinção de género nos principais prémios de cinema, esperando que se venham a fundir numa só as categorias de Melhor Ator e Melhor Atriz.

"Espero por um futuro em que isso aconteça", disse Corrin à BBC News, que se identifica como uma pessoa não binária e usa no singular o pronome "they" (eles-elas em inglês).

"É uma questão de todos serem capazes de se sentirem reconhecidos e representados", acrescentou.

Corrin ganhou um Globo de Ouro e foi nomeada para os Emmy na categoria de Melhor Atriz em Série Dramática, quando ainda usava o pronome "she/her" [ela].

"Para mim é difícil neste momento tentar justificar na minha cabeça ser não-binária e ser nomeada em categorias femininas”, esclareceu.

Comentando a predominância de personagens femininas na sua carreira, deixou uma reflexão: "Quando se trata de categorias, precisamos especificar se está a ser nomeado por um papel feminino ou masculino?".

Apesar de falar nos prémios, Corrin avançou que o mais importante é o conteúdo: "Pode-se discutir prémios e a representação aí, mas realmente o debate precisa ser sobre ter mais representação no próprio material, no conteúdo que estamos a ver para pessoas não binárias, para pessoas 'queer', para pessoas trans, porque nessa altura acho que isso irá mudar muito".

"Quando esses papéis surgirem, no sentido em que mais pessoas e mais atores estão a interpretá-los, acho que haverá uma maior urgência em como essas questões serão abordadas”, notou.

Segundo a BBC, um representando dos BAFTA, a Academia de Cinema Britânica, disse que a organização está "empenhada em consultas proativas e ponderadas sobre este assunto". Também os Óscares estarão a fazer estudos e discussões.

Seguindo o exemplo da sua congénere britânica e ainda dos Grammys, do Festival de Berlim ou dos MTV Movie & TV Awards, em agosto os Independent Spirit Awards nos EUA acabaram com a distinção de género nas categorias de interpretação, tornando-se a mais importante organização de prémios de cinema e televisão a instituir esta mudança.

As tradicionais quatro categorias de interpretação, Melhor Ator/Atriz Principal e Melhor Ator/Atriz Secundário, que tinham cinco nomeações, foram combinadas em duas com dez nomeações cada, intituladas Melhor Interpretação Principal e Melhor Interpretação Secundária.

Esta terça-feira, nas primeiras nomeações anunciadas com este novo sistema, escolhidas por um comité, oito atrizes e dois tores foram nomeados para Melhor Interpretação Principal, enquanto sete atores e três atrizes estão na corrida na categoria de Melhor Interpretação Secundária.

NewsItem [
pubDate=2022-11-25 14:11:20.0
, url=https://mag.sapo.pt/cinema/atualidade-cinema/artigos/emma-corrin-da-serie-the-crown-apela-aos-premios-de-cinema-para-que-acabem-com-distincao-de-genero-nos-atores
, host=mag.sapo.pt
, wordCount=409
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_11_25_215201271_emma-corrin-da-serie-the-crown-apela-aos-premios-de-cinema-para-que-acabem-com-distincao-de-genero-nos-atores
, topics=[tv, entretenimento, óscares 2023, cinema]
, sections=[vida]
, score=0.000000]