www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 25 nov. 12:27

A minha prestação da casa subiu. E agora?

A minha prestação da casa subiu. E agora?

O ideal é que o peso de todas as prestações de créditos (crédito habitação, crédito automóvel ou cartão de crédito) não ultrapasse um terço dos seus rendimentos. Saiba o que fazer se estiver perto do limite ou se já o ultrapassou.

Se tem um crédito habitação contratado a taxa variável, muito provavelmente, já sentiu na carteira o impacto da subida da taxa Euribor. E deverá continuar a subir, já que a prestação da casa vai subir mais de 100 euros para 480 mil contratos.

Os juros pagos ao banco pelo empréstimo da casa estão a subir há meses consecutivos. Uma evolução motivada pelo aumento contínuo das taxas Euribor - já bateram máximos de quase 14 anos -, a que estão indexados a maioria dos contratos de rédito habitação em Portugal, agravando situação das famílias com empréstimos.

Se tem um crédito habitação, com taxa variável, e sua prestação mensal já subiu, o primeiro passo é calcular a sua taxa de esforço. O ideal é que o peso de todas as prestações de créditos (crédito habitação, crédito automóvel ou cartão de crédito) não ultrapasse um terço dos seus rendimentos.

Se ficar perto desse limite, o melhor é mesmo tentar baixar as suas despesas com créditos.

Renegoceie o seu crédito

Dirija-se ao seu banco e peça para renegociar as condições do contrato. Pode tentar baixar o spread por exemplo, rever os seguros obrigatórios. Pode também estender o prazo do contrato. Contudo, saiba que este prolongamento alivia os encargos de uma forma imediata, mas traz consigo um aumento da fatura total dos juros.

Há também a hipótese de pedir um período de carência total ou parcial durante o qual tem a opção de não pagar nada ou pagar apenas os juros. Esta é uma alternativa que permite aos clientes terem algum tempo para recuperarem a sua estabilidade financeira.

Transfira o crédito habitação

Se não conseguir condições mais vantajosas junto do seu banco, pode ir procurar o que a concorrência tem para lhe oferecer. Analise o mercado e peça propostas a outros bancos. Se lhe oferecerem melhores condições noutra instituição pode transferir o seu crédito habitação.

Transferir o seu crédito pode trazer-lhe algumas vantagens:

· Possibilidade de reduzir o spread do seu crédito habitação;

· A redução do valor dos seguros obrigatórios transferindo as apólices para outra entidade;

· Remoção de produtos associados ao contrato;

· Alteração com maior facilidade da maturidade do contrato;

· Nova avaliação do imóvel revela uma valorização do preço da sua casa.

Pondere alterar para taxa fixa

A taxa de juro fixa mantém-se igual durante todo o prazo dos empréstimos, não sofrendo qualquer impacto com a evolução das taxas Euribor. Esta taxa é definida pelo banco ou instituição de crédito, tendo em conta fatores como o risco de crédito do cliente, o rácio entre o valor do empréstimo e o valor do imóvel - designado por loan-to-value (LTV) -, as garantias do cliente e o risco de fixação da taxa de juro durante o prazo estabelecido.

Em condições normais do mercado, a prestação de um crédito a taxa fixa é mais elevada do que a prestação indexada à Euribor. Porém, tendo em conta o cenário atual, a taxa fixa pode ser apelativa.

Mas, antes de tomar qualquer decisão deve responder a algumas questões: O que é preferível para a sua situação financeira? Pagar mais agora e contar com estabilidade no futuro, ou pagar menos neste momento e arriscar pagar mais depois? A casa é para viver o resto da vida ou pretende mudar nos próximos anos? É que, por exemplo, se quiser terminar o contrato de crédito antes do prazo terá de pagar uma comissão por reembolso antecipado. E esta comissão é mais elevada para os créditos a taxa fixa.

O regime de taxa de juro mista pode também ser uma opção a considerar renegociar com o seu banco, pois permite ter uma taxa fixa durante um período inicial - 5, 10 ou 15 anos, a definir com o banco - e, posteriormente, uma taxa variável, acautelando este período de juros altos.

Se tiver mais créditos, consolide

Se tem outros créditos com taxa variável, pondere optar pela consolidação. Ao juntar todos os créditos num só, é possível baixar o valor a pagar mensalmente, o que pode útil, especialmente, se a sua taxa de esforço já for elevada.

Embora o prazo de pagamento poder tornar-se mais longo, a verdade é que a consolidação lhe dá mais liquidez todos os meses, permitindo-lhe suportar uma subida da prestação do crédito habitação.

NewsItem [
pubDate=2022-11-25 12:27:00.0
, url=https://www.dinheirovivo.pt/financas-pessoais/a-minha-prestacao-da-casa-subiu-e-agora-15387293.html
, host=www.dinheirovivo.pt
, wordCount=690
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_11_25_1420487880_a-minha-prestacao-da-casa-subiu-e-agora
, topics=[economia, finanças pessoais]
, sections=[economia]
, score=0.000000]