visao.sapo.ptvisao.sapo.pt - 25 nov. 15:47

Visão | OMS e CDC alertam que sarampo é agora uma ameaça global "iminente". E a culpa é da Covid-19

Visão | OMS e CDC alertam que sarampo é agora uma ameaça global "iminente". E a culpa é da Covid-19

Quase 40 milhões de crianças perderam uma dose da vacina contra o sarampo no ano passado. "Estamos numa encruzilhada", disse Patrick O'Connor, líder da OMS para o sarampo

Por causa da pandemia, em 2021, quase 40 milhões de crianças perderam a toma de uma das duas doses da vacina contra a doença: 25 milhões não tomaram a primeira e 14,7 milhões não receberam a segunda dose.

Em comunicado, a Organização Mundial da Saúde e Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA, referem que este declínio representa um recuo significativo no progresso global para alcançar e manter a erradicação do sarampo, deixando milhões de crianças suscetíveis à infeção.

“O paradoxo da pandemia é que, enquanto as vacinas contra a Covid-19 foram desenvolvidas num tempo recorde e implantadas na maior campanha de vacinação da história, os programas de imunização de rotina foram seriamente interrompidos e milhões de crianças perderam as vacinas que salvam vidas contra doenças mortais, como o sarampo”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom.

O especialista reforça a importância dos programas de vacinação. “Colocar os programas de imunização de volta nos trilhos é absolutamente crítico. Por trás de cada estatística neste relatório está uma criança em risco de uma doença que pode ser evitada”.

A OMS afirma que é necessária uma cobertura de 95% ou mais de duas doses da vacina para criar a chamada imunidade de grupo, que permite proteger as comunidades. No entanto, o relatório aponta que o mundo apresenta valores mais baixos: apenas 81% das crianças receberam a primeira dose de vacina contra o sarampo e apenas 71% estão totalmente imunizadas. Estas são as taxas de cobertura global mais baixas da primeira dose de vacinação contra o sarampo desde 2008, embora a percentagem varie de acordo com o país.

“Estamos numa encruzilhada”, avisa Patrick O’Connor, líder da OMS para o sarampo. “Serão 12 a 24 meses muito desafiadores a tentar mitigar o problema”.

O sarampo é transmitido pelo ar, tosse e espirro. Pode causar pneumonia, inflamação cerebral e danos ao sistema imunológico, o que deixa as crianças mais suscetíveis a outras infeções. Os sintomas da doença são a febre, dores musculares e erupções cutâneas na face e na parte superior do pescoço e, às vezes, pode ser fatal.

NewsItem [
pubDate=2022-11-25 15:47:19.0
, url=https://visao.sapo.pt/visaosaude/2022-11-25-oms-e-cdc-alertam-que-sarampo-e-agora-uma-ameaca-global-iminente-e-a-culpa-e-da-covid-19/
, host=visao.sapo.pt
, wordCount=341
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_11_25_1317204215_visao-oms-e-cdc-alertam-que-sarampo-e-agora-uma-ameaca-global-iminente-e-a-culpa-e-da-covid-19
, topics=[pandemia, oms, atualidade, sarampo, saúde, visão saúde]
, sections=[sociedade, actualidade]
, score=0.000000]