www.jn.ptjn.pt - 23 nov. 22:00

O Mundial do Catar

O Mundial do Catar

O primeiro Mundial teve lugar em 1930 no Uruguai, por iniciativa do então presidente da FIFA, Jules Rimet, que sonhou e tornou possível a realização de uma prova para jogadores profissionais.

Para dar uma ideia das dificuldades, as seleções da Bélgica, França e Roménia atravessaram o Atlântico no mesmo navio, o "Conte Verde".

Esse primeiro Mundial foi conquistado pelo Uruguai, que derrotou na final a Argentina. Desde aí tiveram lugar mais 21 mundiais, 18 países organizadores, oito campeões, milhares de golos e muitos momentos de maravilhosa magia com atletas a serem transformados em ícones idolatrados.

Pelé, Eusébio e Maradona foram alguns desses notáveis que assinaram com o seu talento jogadas geniais que ficaram na memória de milhões de adeptos e que os catapultaram para a galeria dos imortais. Um outro atleta que vai a caminho de enfileirar nesse lote é Ronaldo, uma das grandes figuras deste Mundial, com uma carreira notável, com marcas que parecem ser imbatíveis.

De 1930 até hoje o Mundo mudou e o futebol não ficou à margem. Globalizou-se e tornou-se uma poderosa indústria em que pululam fortes interesses políticos e financeiros.

A escolha do Catar como palco deste Mundial é o reflexo dessas mudanças. Aos que, como eu, vibram com o futebol jogado dentro do espaço definido pelas quatro linhas, resta a esperança que a ganância que gravita à volta do futebol e que o "vale tudo", incluindo a violação flagrante dos direitos humanos, não nos tire o entusiasmo e a ilusão que um Mundial sempre proporciona.

*Economista

NewsItem [
pubDate=2022-11-23 22:00:00.0
, url=https://www.jn.pt/desporto/o-mundial-do-catar-15380763.html
, host=www.jn.pt
, wordCount=216
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_11_23_1460553851_o-mundial-do-catar
, topics=[opinião, desporto, opini�o mundial, futebol, mundial2022, opini�o]
, sections=[opiniao, desporto]
, score=0.000000]