www.publico.ptpublico.pt - 23 set. 18:25

110 Histórias, 110 Objectos: “Hounsfield”, a máquina de ensaios

110 Histórias, 110 Objectos: “Hounsfield”, a máquina de ensaios

No 61.º episódio do podcast, conhecemos a máquina Hounsfield. O podcast 110 Histórias, 110 Objectos, do Instituto Superior Técnico, é um dos parceiros da Rede PÚBLICO.

No podcast 110 Histórias, 110 Objectos, um dos parceiros da Rede PÚBLICO, percorremos os 110 anos de história do Instituto Superior Técnico (IST) através dos seus objectos do passado, do presente e do futuro. No 60.º episódio do podcast, conhecemos a máquina Hounsfield.

Foto Hounsfield, a máquina de ensaios Instituto Superior Técnico

Estamos no Técnico, nos anos 1970, onde dificilmente se encontra algum estudante do recém-criado curso de Engenharia Metalúrgica que não tenha usado a Hounsfield, uma máquina de ensaios que testava de forma rigorosa a resistência dos materiais para usar, por exemplo, na área da construção.

Foto

O primeiro contacto com a tecnologia acontece na cadeira de Metalurgia Física 2, uma das cadeiras base do curso criado nessa década, na sequência do aumento do interesse nacional em desenvolver a siderurgia e em explorar a produção de energia nuclear.

“Aquilo que se dava basicamente era o comportamento mecânico do material e era aí que entrava o Hounsfield. As propriedades mecânicas são das propriedades mais importantes dos materiais”, recorda Maria Emília Rosa, professora associada no departamento de engenharia mecânica do IST e antiga aluna desse curso.

Quem também foi aluno do curso, que, entretanto, se viria a converter em Engenharia Metalúrgica e de Materiais e, mais recentemente, em Engenharia de Materiais, foi Luís Guerra Rosa, professor no departamento de engenharia mecânica do IST.

Define-a como “uma máquina de bancada para realizar ensaios mecânicos” e descreve o seu funcionamento de forma muito simples: “Para a maioria das pessoas o ensaio mais vulgar é o ensaio de tracção, um provete que é traccionado, para se conhecerem as propriedades do material de que é feito”.

Como se media a força aplicada nos tempos da manivela? Maria Emília Rosa explica

"Havia um reservatório de mercúrio e uma escala, que estava no lado direito da máquina, e à medida que íamos aplicando a força o mercúrio subia no tubo. Com uma lupa íamos ver a altura do menisco do mercúrio no tubo. Ajustávamos com a lupa uma régua e picávamos o papel. Quando acabávamos o ensaio tínhamos o registo picado da força que tínhamos aplicado em cada instante em função do deslocamento. Saía o gráfico feito da força. O teste terminava quando o provete partia."

Embora tenha ganhado grande evidência no IST no contexto da metalurgia e da Engenharia de Materiais, esta máquina de ensaios mecânicos é “universal”: “Pode-se usar provetes dos mais variados materiais: plásticos, compósitos, cerâmicos…”

A máquina adoptou o último nome do seu inventor, Leslie Hounsfield, e começou a ser produzida nos anos 1950 do séc. XX. Hoje em dia já foi substituída por versões modernas e digitais, mas naquela altura tinha as suas particularidades, como conta Maria Emília Rosa: “Eu trabalhei com ela com a manivela. A máquina tinha dois travessões: um fixo e outro que era móvel, que se movia num parafuso sem fim e que nós movíamos à manivela. Tentávamos mover com uma velocidade mais ou menos constante ao rodar a manivela. Era uma das recomendações que nos faziam”.

A Hounsfield chegou ao Técnico por empréstimo dos professores do então LFEN - Laboratório de Física e Engenharia Nuclear (hoje C2TN - Centro de Ciências e Tecnologias Nucleares, uma estrutura que integra o IST), empenhados na aproximação entre o ensino e a indústria.

Conhece os podcasts do PÚBLICO?

Espreite a nossa página de podcasts para descobrir os nossos programas sobre música, livros, desporto e nutrição, saúde mental, igualdade de género e muito mais.

  • P24 - de segunda a sexta-feira, às 7h, o seu dia começa aqui
  • Poder Público - às quintas-feiras, a semana política em debate com Helena Pereira, Marta Moitinho Oliveira, São José Almeida e Sónia Sapage
  • Azul - a cada 15 dias, às quintas-feiras, conversas sobre ambiente, crise climática e sustentabilidade, com moderação de jornalistas do Azul
  • Desordem Mundial - num mundo quase sempre anárquico, um podcast para debater a política internacional. Às terças-feiras, com Alexandre Guerra, Cátia Moreira de Carvalho e Diogo Noivo.

“Como fazíamos alguns trabalhos práticos, como alunos, em Sacavém, deixaram-nos trazer a máquina para o Técnico”, recorda Luís Guerra Rosa. Foi uma espécie de empréstimo a fundo perdido, que o tempo haveria de regularizar através da integração do C2TN na estrutura do IST, em 2012.

Passado à parte, hoje não há dúvidas que pertence ao Técnico e que gera entusiasmo também pelo seu carácter raro. “A máquina é fabulosa. E eu não conheço mais nenhuma em Portugal”, sintetiza.

O podcast 110 Histórias, 110 Objectos é um dos parceiros da Rede PÚBLICO. É um programa do Instituto Superior Técnico com realização de Marco António (366 ideias) e colaboração da equipa do IST composta por Filipa Soares, Sílvio Mendes, Débora Rodrigues, Patrícia Guerreiro, Leandro Contreras, Pedro Garvão Pereira e Joana Lobo Antunes.

Siga o podcast 110 Histórias, 110 Objectos no Spotify, na Apple Podcasts ou em outras aplicações para podcast.

Conheça os podcasts da Rede PÚBLICO em publico.pt/podcasts.

Os podcasts do PÚBLICO dão-lhe 10% de desconto numa nova assinatura do seu jornal. Introduza o código promocional POD10 em publico.pt/assinaturas e usufrua das vantagens de ter o PÚBLICO no ouvido. O código é válido para novas assinaturas ou assinaturas expiradas há mais de 90 dias.

NewsItem [
pubDate=2022-09-23 17:25:00.0
, url=https://www.publico.pt/2022/09/23/ciencia/noticia/110-historias-110-objectos-hounsfield-maquina-ensaios-2021621
, host=www.publico.pt
, wordCount=847
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_09_23_1242436834_110-historias-110-objectos-hounsfield-a-maquina-de-ensaios
, topics=[podcasts público]
, sections=[ciencia-tecnologia]
, score=0.000000]