ionline.sapo.ptVítor Rainho - 22 set. 08:00

As empresas que prescindam dos lucros excessivos

As empresas que prescindam dos lucros excessivos

À conta da guerra, e devido à dependência - que agora sabemos parva - do petróleo e gás russo, a Europa, e o mundo de forma geral, estão a entrar em recessão e, como é natural, serão os pobres os mais atingidos.

As intenções de Vladimir Putin de recrutar 300 mil reservistas para a guerra na Ucrânia - voluntários à força que vão dos 18 aos 60 anos... - pode ter feito mais contra o ditador russo do que todas as mortes na frente de batalha. E é por aqui que Putin, que recorreu a um expediente idêntico ao usado por Estaline, poderá ter de começar a enfrentar um inimigo não externo, mas interno. O que lá se passa, como é óbvio, é uma incógnita, pois não existe liberdade de imprensa. Mas ao dar entender que precisa de 300 mil reservistas para uma operação especial militar, e não uma guerra, o líder tão amado por comunistas e forças de extrema-direita, abre o flanco, sendo esse facto o verdadeiro problema. O Estaline dos tempos modernos do império russo, já anunciou que poderá recorrer a armas nucleares, e aí estaremos todos ainda mais tramados do que já estamos. Esperemos pelos próximos capítulos, mas nada de bom se anuncia...

Basta ver que um simples aumento dos juros nos EUA fará o velho continente abanar, porque todos os produtos importados serão muito mais caros, pois o dólar é cada vez mais valorizado em relação ao euro. E é aqui que, acho, as grandes empresas se deviam adiantar aos diferentes estados e serem elas próprias a oferecerem-se para fazerem parte da solução e não do problema. Penso que hoje em dia todas as grandes empresas têm os seus departamentos de solidariedade social e esses mesmos organismos deviam estudar formas de ‘distribuir’ os lucros excessivos ‘provocados’ pela guerra, sem terem de esperar pelos impostos extraordinários dos sucessivos governos. Da mesma forma que as grandes superfícies e as distribuidoras de combustíveis fazem as suas promoções em tempos de ‘vacas gordas’, nada como agora perceberem que os lucros excessivos vão acabar por ‘jogar’ contra si. Isto é, não aproveitem a guerra para aumentar os preços da eletricidade, dos combustíveis ou dos alimentos.

NewsItem [
pubDate=2022-09-22 07:00:00.0
, url=https://ionline.sapo.pt/artigo/781517/as-empresas-que-prescindam-dos-lucros-excessivos?seccao=Opiniao_i
, host=ionline.sapo.pt
, wordCount=321
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_09_22_1528496258_as-empresas-que-prescindam-dos-lucros-excessivos
, topics=[opinião]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]