observador.ptObservador - 6 ago. 07:15

As guerras começam no Verão

As guerras começam no Verão

As duas grandes guerras do séc. XX começaram no Verão. Agora que da Ucrânia e de Taiwan nos chegam sinais de fogo, será que a dissuasão nuclear ainda vale como protecção contra escaladas?

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Verão foi quase sempre o tempo do começo das guerras na Europa. As duas grandes guerras do século XX começaram no Verão: a Primeira no fim de Julho de 1914, a Segunda em 1 de Setembro de 1939. Durante milénios, os exércitos viveram da pilhagem dos territórios ocupados e até à mecanização e à disponibilidade transazonal dos meios logísticos era bom que as guerras começassem quando o tempo mais seco desimpedia os caminhos da lama e as colheitas estavam quase maduras para os invasores-predadores se abastecerem.

A dissuasão ainda vale?

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.

NewsItem [
pubDate=2022-08-06 06:15:08.0
, url=https://observador.pt/opiniao/as-guerras-comecam-no-verao/
, host=observador.pt
, wordCount=145
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_08_06_570205886_as-guerras-comecam-no-verao
, topics=[taiwan, estados unidos da américa, opinião, china, guerra, a sexta coluna, ucrânia]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]