jornaleconomico.ptjornaleconomico.pt - 6 ago. 11:07

Livro: “O Leopardo-das-Neves”

Livro: “O Leopardo-das-Neves”

Neste relato extraordinário de uma viagem física e espiritual, que se converteu numa verdadeira peregrinação pela essência da vida, Peter Matthiessen assinou um dos melhores livros que conjugam viagens e escrita da natureza.

“(…) atravessámos os Himalaias de sul para norte. Mas só quando tive de trepar este pequeno caminho íngreme do rio invernal para as falésias é que me apercebi do quão cansado estava depois de trinta e cinco dias de difícil caminhada. E aqui estou, neste primeiro dia de novembro, erguendo-me diante do Mosteiro de Cristal, com as suas estranhas pedras, bandeiras e sinos debaixo de neve.”

“O Leopardo-das-Neves” é o relato extraordinário de uma viagem física e espiritual que se converteu numa verdadeira peregrinação pela essência da vida, e um dos melhores livros que conjugam viagens e escrita da natureza, sendo mesmo considerado um clássico do género (facto a que não será alheio o seu profundo misticismo).

Em 1973, Peter Matthiessen, acompanhado do zoólogo George Schaller, viajou até às remotas montanhas do Nepal para estudar o Carneiro-azul e tentar observar o raro – tão raro que chega a ser mítico – leopardo-das-neves, proeza quase impossível e de que pouquíssimos seres humanos se poderão gabar. Mas Plínio, o Velho, refere-se-lhe, pelo que há séculos houve evidência da sua existência.

Matthiessen estava igualmente numa jornada espiritual para encontrar o lama de Shey Gompa (Mosteiro de Cristal, em tibetano), no deslumbrante planalto de Dolpo, inalterado durante séculos – apesar de ter feito parte da antiga rota comercial Trans-himalaica, a região esteve fechada a caminhantes durante bastante tempo.

Com o desenrolar da viagem ao longo dos cerca de 400 quilómetros do trilho até Dolpo – que obrigou a um tremendo esforço físico, a negociações frequentes com os sherpas, a suportar bolhas nos pés, nevões e frio intenso – Matthiessen descreve o seu percurso interior e exterior, aprofundando a compreensão budista da realidade, do sofrimento, da impermanência e da beleza. Esta era, definitivamente, uma viagem sentimental, por entre a beleza e indiferença das montanhas; acima de tudo, o autor buscava consolo.

Peter Matthiessen (1927-2014) foi cofundador de “The Paris Review” e escreveu mais de 30 livros, sendo este o único publicado em Portugal. É o único autor a ter vencido o National Book Award nas categorias de ficção (em 2008, com “Shadow Country”) e de não ficção (em 1979, precisamente com este “O Leopardo-das-Neves”).

Aquando da sua morte, o obituário de “The New York Times” apresentava-o como um dos últimos sobreviventes de uma geração de escritores norte-americanos que chegou à idade adulta após a Segunda Guerra Mundial e que se conheciam todos graças a uma espécie de salão literário permanente, deslocando-se entre Nova Iorque e Long Island, frequentado por autores como Kurt Vonnegut ou E. L. Doctorow.

Editado pela Saída de Emergência, na sua chancela Desassossego, e com tradução de Rita e Pedro Carvalho e Guerra, “O Leopardo-das-Neves” faz parte da nova coleção de literatura de viagens, coordenada por António Araújo.

Eis a sugestão de leitura desta semana da livraria Palavra de Viajante.

NewsItem [
pubDate=2022-08-06 10:07:50.0
, url=https://jornaleconomico.pt/noticias/livro-o-leopardo-das-neves-923826
, host=jornaleconomico.pt
, wordCount=460
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_08_06_2102466326_livro-o-leopardo-das-neves
, topics=[viagem espiritual, literatura de viagens, himalaias, escrita da natureza, livros, et cetera, cultura & lifestyle, economia, nepal, tibete, editora saída de emergência]
, sections=[economia, vida]
, score=0.000000]