pplware.sapo.ptpplware.sapo.pt - 5 ago. 23:00

Trabalhadores em greve: Amazon recusa aumento de salários de £2 no Reino Unido

Trabalhadores em greve: Amazon recusa aumento de salários de £2 no Reino Unido

Os sindicatos de trabalhadores da Amazon têm vindo a reclamar por mais direitos e melhores salários. Mais de 700 trabalhadores em greve.

As condições de trabalho e salariais dos trabalhadores da Amazon têm vindo a ser questionadas há vários anos e com a pandemia e o aumento das compras online agravaram-se. Os sindicatos de trabalhadores da empresa têm vindo a reclamar por mais direitos e agora um pedido de aumento de salários levou mais de 700 trabalhadores a fazer greve num armazém do Reino Unido.

A Amazon recusou um aumento de salários na ordem das 2 libras à hora, cerca de 2,37 €.

Amazon continua a desvalorizar trabalhadores?

Mais de 700 trabalhadores de um armazém da Amazon na Inglaterra saíram à rua esta semana para lutar pelo aumento salarial, segundo a Reuters.

A Amazon não concordou com o aumento salarial de £2 à hora, solicitado pelo sindicato que representa os funcionários, oferecendo um aumento de apenas 0,35 libras (cerca de 40 cêntimos). O GMB - sindicato que representa os funcionários das instalações de Tillbury (um subúrbio de Essex, no leste da Inglaterra) - disse que os trabalhadores saíram em protesto na quarta e na quinta-feira.

A Amazon é uma das empresas mais rentáveis ​​do planeta. Com os custos de casa em alta, o mínimo que eles podem fazer é oferecer um salário decente.

Logo após o anúncio da Amazon com a revelação de que não iria responder à exigência do aumento salarial exigido pelos sindicatos, os trabalhadores iniciaram os seus protestos. A empresa respondeu prontamente com o encerramento da área de restauração da instalação e ameaçou os trabalhadores com o despedimento caso deixassem as instalações.

A GMB já luta por melhores salários e melhores padrões de saúde para os trabalhadores dos armazéns da Amazon no Reino Unido desde 2013, inclusivamente chegou a pedir inquérito parlamentar sobre as práticas trabalhistas da empresa. A Amazon não reconhece o sindicato GMB em Tillbury ou, na verdade, de qualquer outro sindicato em qualquer armazém.

Em Rugeley, noutro armazém da Amazon no Reino Unido, dezenas de trabalhadores saíram ontem à rua em protesto devido a uma disputa de pagamento.

A Amazon Rugeley anunciou um aumento salarial de 0,50 libras por hora, citando a média da taxa de pagamento local. A notícia não foi bem aceite pelos trabalhadores e mais de 100 pessoas saíram em protesto, o que afetou muitas encomendas de clientes

Revelou um trabalhador anónimo ao The Birmingham Mail.

A Amazon apresentou os seus resultados do segundo trimestre que revelaram receitas muito aquém do esperado, o que irá levar a um aumento de quase 40% do preço do serviço Amazon Prime. Além disso, é importante relembrar que esta é uma das empresas mais ricas do mundo e que, segundo dados deste ano, é uma das mais perigosas para se trabalhar.

Amazon Prime: preços em Portugal vão aumentar quase 40%

NewsItem [
pubDate=2022-08-05 22:00:40.0
, url=https://pplware.sapo.pt/informacao/trabalhadores-em-greve-amazon-recusa-aumento-de-salarios-de-2-no-reino-unido/
, host=pplware.sapo.pt
, wordCount=445
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_08_05_928045079_trabalhadores-em-greve-amazon-recusa-aumento-de-salarios-de-2-no-reino-unido
, topics=[amazon, tecnologia, trabalhadores, notícias]
, sections=[ciencia-tecnologia]
, score=0.000000]