ionline.sapo.ptCarlos Zorrinho - 23 jun. 09:19

Orçamento 2023

Orçamento 2023

A definição e a aplicação do orçamento de 2023 será o espelho do sucesso ou do insucesso de um ciclo coletivo determinante para o país que somos.

O título desta crónica não é lapso. Não minimizo a importância do Orçamento do Estado de 2022, só recentemente aprovado sob múltiplas contingências, designadamente a realização de eleições antecipadas, a trapalhada na contagem dos votos da emigração, o surgimento de circunstâncias inesperadas em consequência da guerra e dos seus impactos e à confluência no lançamento de vários programas, designadamente do programa de Programa de Recuperação e Resiliência. Sem uma boa e ponderada execução orçamental em 2022, sugerida na promulgação presidencial e assumida como linha de ação do Governo, dificilmente poderemos ter um grande orçamento reformista em 2023. E vamos precisar muito disso. O Orçamento de 2023 terá que ser um grande orçamento progressista e inovador, capaz de induzir um salto quântico na aplicação do programa de um Governo fortemente legitimado por uma maioria absoluta, dando suporte a formas mais modernas, mais ágeis e mais eficazes de fazer o que Portugal precisa.

Salvo ocorrência inesperada, a que os tempos são favoráveis, o sucesso ou insucesso da aplicação e textura do impacto do orçamento de 2023 vai marcar indelevelmente esta legislatura, em temas tão centrais como as opções chave nas novas infraestruturas, como o novo

Eurodeputado do PS

NewsItem [
pubDate=2022-06-23 08:19:50.0
, url=https://ionline.sapo.pt/artigo/774364/orcamento-2023?seccao=Opiniao_i
, host=ionline.sapo.pt
, wordCount=194
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_06_23_1216174501_orcamento-2023
, topics=[opinião]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]