visao.sapo.ptvisao.sapo.pt - 15 mai. 08:00

Visão | Novos vinhos: A ocasião determina a escolha

Visão | Novos vinhos: A ocasião determina a escolha

Um vinho do Douro excecional, um Bairrada singular e um verde aromático, leve e fresco. Todos diferentes e todos apetecíveis. A opinião do crítico gastronómico da VISÃO Se7e, Manuel Gonçalves da Silva

Temos registado com regularidade, nos últimos anos, o lançamento do vinho Roquette & Cazes, por se tratar de um tinto do Douro elegante e com notável equilíbrio entre a qualidade e o preço. Assim se apresenta o da colheita de 2019, que acaba de chegar ao mercado, desta vez na companhia do Xisto Roquette e Cazes 2018, ícone da casa e da região Douro, de pequena produção e exclusivamente em anos de excecional qualidade. A colheita de 2018 deu-nos um Xisto do mais alto nível, que promete desinquietar muitos (ou muito os) enófilos. Se me pedirem conselho direi aos mais abonados que levem os dois vinhos e, aos outros, que não fiquem de mãos a abanar.

Da Bairrada também chegaram boas notícias, a propósito de outro bom vinho tinto que já está no mercado: Nelson Neves Garrafeira 2015. É um Merlot, produzido com uvas da famosa casta oriunda da região de Bordéus (Pomerol e Saint Émillion, sobretudo) que se espalhou pelo mundo e que Nelson Neves oportunamente introduziu na sua região. Fê-lo por gosto pessoal e por saber que a casta Merlot encontraria na Bairrada condições propícias para produzir bons vinhos: frutados, suculentos e aveludados.

A Herdade do Esporão não é só Alentejo, estende-se a outras regiões, como a do Vinho Verde, de onde acaba de lançar o Bico Amarelo 2021, que satisfaz tanto a boca como a bolsa. Produzido com uvas das principais castas regionais – Alvarinho, de Monção e Melgaço; Loureiro, de Vale do Lima; e Avesso, de Baião –, tem leveza e frescura cativantes, e também estrutura bastante para acompanhar pratos leves.

Xisto – Roquette & Cazes Douro (tinto) 2018

Lote de uvas das castas tradicionais do Douro: Touriga-Nacional, Touriga-Franca e Tinta-Roriz. Só é produzido em anos excecionais, como foi o de 2018. Tem cor carregada de tom violeta, aroma concentrado e complexo em que se conjugam notas de frutos silvestres e de especiarias, paladar elegante com volume, equilíbrio e textura notáveis, o que é apanágio dos grandes vinhos. €79

Nelson Neves Bairrada Garrafeira (tinto) 2015

Produzido com base na casta Merlot, com estágios em barrica (12 meses) e em garrafa (desde novembro de 2018). Cor intensa de tom atijolado; aroma frutado com notas de ameixa e bagas pretas maduras, de especiarias e de plantas e flores do bosque; paladar elegante e aveludado com boa fruta e muita frescura; final longo e persistente. Muito gastronómico. €20

Bico Amarelo Esporão Vinho Verde (branco) 2021

Lote das castas Loureiro, Alvarinho e Avesso, as principais da Região do Vinho Verde. Vinho para todas as ocasiões, aromático, leve e fresco, de cor amarela citrina com reflexos esverdeados, aroma alegremente frutado e floral, paladar elegante com muito bom equilíbrio da fruta e da acidez, final longo, refrescante, muito agradável. €5

NewsItem [
pubDate=2022-05-15 07:00:00.0
, url=https://visao.sapo.pt/visaose7e/comer-e-beber/2022-05-15-novos-vinhos-a-ocasiao-determina-a-escolha/
, host=visao.sapo.pt
, wordCount=450
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_05_15_1803052814_visao-novos-vinhos-a-ocasiao-determina-a-escolha
, topics=[comer e beber, manuel gonçalves da silva, vinhos, visão sete]
, sections=[]
, score=0.000000]