rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 14 mai. 01:41

Governo de Moscovo surpreendido com saída da Siemens ao fim de 170 anos

Governo de Moscovo surpreendido com saída da Siemens ao fim de 170 anos

O ministro do Comércio e Indústria russo recordou que, perante as sanções impostas à Federação Russa, Moscovo permitiu importações paralelas de produtos sem a autorização dos titulares da propriedade intelectual.

A Federação Russa exprimiu hoje "a sua grande surpresa" pela decisão do grupo tecnológico e industrial alemão Siemens de sair do mercado russo por causa da decisão do Kremlin de ordenar a invasão da Ucrânia.

“Quanto à cooperação com a Siemens, na realidade é uma diferença grande para nós, porque a empresa está presente no mercado russo há mais de 150 anos”, desde o tempo da Rússia czarista”, disse o ministro do Comércio e Indústria, Denis Manturov.

Acrescentou que a decisão foi “inesperada” e que lhe pareceu “bastante estranha”.

O ministro russo recordou que, perante as sanções impostas à Federação Russa, Moscovo permitiu importações paralelas de produtos sem a autorização dos titulares da propriedade intelectual.

O presidente e administrador-delegado da Siemens, Roland Busch, afirmou na quinta-feira que a empresa tinha decidido “terminar de forma ordenada as suas atividades na Federação Russa”, onde estava desde há quase 170 anos.

NewsItem [
pubDate=2022-05-14 00:41:54.0
, url=https://rr.sapo.pt/noticia/mundo/2022/05/14/governo-de-moscovo-surpreendido-com-saida-da-siemens-ao-fim-de-170-anos/284140/
, host=rr.sapo.pt
, wordCount=144
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_05_14_711783806_governo-de-moscovo-surpreendido-com-saida-da-siemens-ao-fim-de-170-anos
, topics=[informação, mundo]
, sections=[actualidade]
, score=0.000000]