jornaleconomico.ptjornaleconomico.pt - 14 mai. 20:21

Tesla deteta problema em 130 mil unidades. Solução não exige regresso à fábrica

Tesla deteta problema em 130 mil unidades. Solução não exige regresso à fábrica

A marca automóvel detetou um problema de aquecimento que atinge o ecrã dos veículos. Estima que cerca de 130 mil unidades fabricadas em 2020 e 2021 estejam a ser afetadas. A solução chegará numa atualização de software.

A Tesla detetou uma tendência de sobreaquecimento no processador responsável pelo funcionamento do ecrã central dos veículos. Mais de 130 mil unidades, fabricadas entre 2020 e 2021, deverão estar equipadas com o dito processador. O fabricante automóvel garante que não será necessário devolver os automóveis às fábricas, como aconteceu com o Dieselgate, ou sequer visitar uma oficina. Basta apenas autorizar uma atualização de software.

O problema nos processadores foi detetado nalgumas unidades e só parece acontecer quando os veículos estão a carregar num ‘supercharger’ ou a precondicionar a bateria.

Este aquecimento não provoca qualquer problema grave, revela a marca, nem sequer aumenta o risco de incêndio, mas provoca alguma lentidão no processamento e na velocidade dos softwares que integram os modelos, bem como problemas na câmara de marcha-atrás, no selecionador de transmissão e nas luzes de emergência.. A situação deverá afetar toda a gama, do Model X ao Y.

A marca de Elon Musk descarta alarmismos e convida os condutores a atualizarem o sofrware dos veículos, solução que dizem bastar para resolver os problemas detetados.

NewsItem [
pubDate=2022-05-14 19:21:57.0
, url=https://jornaleconomico.pt/noticias/tesla-deteta-problema-em-130-mil-unidades-solucao-nao-exige-regresso-a-fabrica-892741
, host=jornaleconomico.pt
, wordCount=172
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_05_14_1211398779_tesla-deteta-problema-em-130-mil-unidades-solucao-nao-exige-regresso-a-fabrica
, topics=[tecnologia, empresas, economia]
, sections=[economia, ciencia-tecnologia]
, score=0.000000]