www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 15 jan. 07:07

Planos de Biden inspiram entrada da Greenvolt nos EUA

Planos de Biden inspiram entrada da Greenvolt nos EUA

Washington ambiciona fazer o maior investimento em energia limpa até 2024, a propósito da transição energética. Greenvolt procura nos Estados Unidos retirar proveito do ″empenho″ da administração de Joe Biden.

A Greenvolt entrou nos Estados Unidos com a aquisição da Oak Creek Energy Systems, empresa norte-americana que desenvolve projetos de energia eólica. A operação enquadra-se na estratégia de crescimento por aquisições da empresa liderada por Manso Neto, mas este passo tem um pormenor diferenciador: a Greenvolt chegou ao mercado norte-americano inspirada por Joe Biden, procurando tirar partido dos planos do presidente dos EUA para a transição energética, onde as renováveis são um pilar-base.

"A Greenvolt vê no mercado americano inúmeras oportunidades de crescimento no negócio da promoção e desenvolvimento de projetos de energia renovável, fruto do empenho da administração Biden no importante processo de transição energética", explica ao Dinheiro Vivo fonte oficial da energética portuguesa, contactada após o anúncio da operação, cujos valores não foram revelados, e consequente entrada no maior mercado do mundo de energias renováveis.

A fim de concretizar a transição energética, Washington quer levantar o maior investimento em energia limpa. O compromisso é aumentar as compras federais em 400 mil milhões de dólares (quase 350 mil milhões de euros) já no primeiro mandato (até 2024), segundo o programa eleitoral de Joe Biden.

Para não faltar ao compromisso, parte do plano passará pelo fortalecimento da indústria eólica nos EUA, para enfrentar as alterações climáticas através da descarbonização do setor da energia até 2035. O reforço da indústria eólica consistirá, para já, em criar grandes parques eólicos ao longo de quase toda a costa do país, desde o estado do Maine até ao estado da Califórnia. Segundo a Reuters noticiou em outubro de 2021, o plano é realizar até sete leilões de energia eólica marítima nos próximos quatro anos, procurando estender a produção de energia eólica a áreas que ainda não foram desenvolvidas.

Caberá ao Gabinete de Gestão da Energia Oceânica dos EUA, uma divisão do Departamento do Interior que supervisiona as licenças para a produção de energia eólica marítima, estabelecer até sete contratos de locação até 2025 no Golfo do Maine, Golfo do México e na costa da Califórnia, Carolina do Norte e do Sul e Oregon.

Em paralelo, a administração de Biden ambiciona também aumentar o contributo das energias renováveis na produção de energia elétrica no país. Hoje, as energias renováveis representam cerca de 3% da eletricidade produzida nos EUA. A Casa Branca quer aumentar essa parcela para 45% até 2050, segundo o Departamento de Energia dos Estados Unidos.

Empresa não revela valor do negócio

É com o plano gizado pela administração Biden que a Greenvolt vê com satisfação o negócio com a Oak Creek Energy Systems, anunciado a 10 de janeiro. A aquisição foi feita através da subsidiária V-Ridium Power Group. Fonte oficial da Greenvolt não revelou os valores da operação. "Contudo, podemos adiantar que o montante envolvido na operação não é material", refere.

A V-Ridium Power Group é uma empresa norte-americana, que atua no setor das renováveis desde 1982. Esta empresa está diretamente relacionada com a Greenvolt, desde que a empresa liderada por Manso Neto (em conjunto com a casa-mãe Altri) assegurou o controlo da V-Ridium junto da polaca V-Ridium-Europe. Em troca, a V-Ridium Europe ficou com uma participação de 9,23% na Greenvolt, na sequência da oferta pública inicial (IPO) que determinou a entrada da Greenvolt no principal índice bolsista português (PSI), no verão de 2021. A operação, com um potencial de 70 milhões, abriu as portas dos mercados polaco e grego à energética lusa.

A aquisição da Oak Creek Energy Systems culminou na constituição da V-Ridium Oak Creek Renewables. A nova empresa será gerida pela equipa executiva da Oak Creek Energy Systems, absorvendo igualmente os restantes funcionários.

Apesar da V-Ridium Oak Creek Renewables ter já atividade nos EUA, fonte oficial da Greenvolt diz que "não é ainda possível dar uma noção do volume de negócios" que a V-Ridium Oak Creek Renewables terá à partida. Não obstante, a Greenvolt está convicta que a V-Ridium Oak Creek Renewables arranca nos EUA" com uma equipa altamente experimentada, com vários projetos em carteira que terão ainda de ser desenvolvidos". Segundo informação no site da Oak Creek Energy Systems, esta empresa tem entre os ativos projetos eólicos em Tehachapi, cidade do estado da Califórnia. Um deles é "provavelmente o maior projeto de transmissão de energia renovável nos Estados Unidos", assegurado por um contrato de 1550 MW com a Southern California Edison.

Além de Portugal, Polónia, Grécia e EUA, a Greenvolt, que trabalha em biomassa, solar, eólica e produção descentralizada, está presente em Espanha, França, Roménia e Bulgária.

NewsItem [
pubDate=2022-01-15 07:07:00.0
, url=https://www.dinheirovivo.pt/empresas/planos-de-biden-inspiram-entrada-da-greenvolt-nos-eua-14493124.html
, host=www.dinheirovivo.pt
, wordCount=727
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_01_15_2043641700_planos-de-biden-inspiram-entrada-da-greenvolt-nos-eua
, topics=[energia, empresas, economia]
, sections=[economia]
, score=0.000000]