observador.ptobservador.pt - 15 jan. 00:40

Descoberto possível lua fora do nosso sistema solar. A confirmar-se, seria a segunda encontrada até hoje

Descoberto possível lua fora do nosso sistema solar. A confirmar-se, seria a segunda encontrada até hoje

Este é apenas o segundo corpo celeste descoberto que pode ser uma exolua. Ambas as possíveis luas externas ao nosso sistema solar foram descobertas por uma equipa de astrónomos nos EUA.

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma segunda exolua fora do nosso sistema solar pode ter sido encontrada por uma equipa de astrónomos norte-americana.

A lua gigante — cerca de 2,6 vezes maior do que a Terra — foi descoberta a orbitar um planeta do tamanho de Júpiter conhecido como Kepler 1708b, localizado a 5,500 anos-luz da Terra. Este é apenas o segundo corpo celeste descoberto que pode ser uma exolua. A nova descoberta foi esta quinta-feira publicada na revista Nature Astronomy.

Ambas as possíveis luas externas ao nosso sistema solar foram descobertas por uma equipa de astrónomos liderada por David Kipping, professor assistente de astronomia na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos da América. A primeira lua, do tamanho de Neptuno, foi descoberta a orbitar um exoplaneta gigante denominado Kepler-1625b, em 2018.

Os astrónomos descobriram mais de 10 mil candidatos a exoplanetas até agora, mas as exoluas são mais difíceis de encontrar“, afirmou o cientista, citado pela CNN.

A descoberta de mais exoluas permitiria aos astrónomos perceber como se formaram, se poderiam suportar vida, e se têm um papel importante na potencial habitabilidade dos planetas. No nosso sistema solar, com mais de 200 luas, estas são bastante abundantes, mas os astrónomos têm apresentado dificuldades na descoberta de mais satélites naturais mais distantes.

Isto porque muitos dos exoplanetas foram localizados através de um método que procura por lacunas na luz emanada por outras estrelas no nosso universo, indícios de que um planeta terá passado à frente da estrela. As exoluas, contudo, sendo corpos de menor dimensão, criam lacunas mais reduzidas, o que dificulta a sua observação.

À semelhança da primeira exolua descoberta, a segunda será um satélite natural gasoso, o que explicaria o seu tamanho gigante, e estão ambas distantes da estrela do sistema onde estão localizadas.

Existem três teorias em relação à formação das luas. A primeira é que foram parte do planeta que orbitam, e que se terão separado devido a uma colisão do planeta com outro corpo celeste. A segunda teoria aponta para que as luas sejam na verdade planetas que foram atraídos para a gravidade dos corpos que orbitam. A terceira teoria aponta para que estas se tenham formado de gás e poeiras que orbitavam em torno da estrela do seus sistema, e que se tenham depois agregado e formado o satélite natural.

NewsItem [
pubDate=2022-01-15 00:40:47.0
, url=https://observador.pt/2022/01/15/descoberto-possivel-lua-fora-do-nosso-sistema-solar-a-confirmar-se-seria-a-segunda-encontrada-ate-hoje/
, host=observador.pt
, wordCount=396
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_01_15_2036958750_descoberto-possivel-lua-fora-do-nosso-sistema-solar-a-confirmar-se-seria-a-segunda-encontrada-ate-hoje
, topics=[espaço, lua, astronomia, ciência]
, sections=[ciencia-tecnologia]
, score=0.000000]