observador.ptobservador.pt - 15 jan. 17:58

Alec Baldwin entrega telefone à polícia após mandado de busca emitido em dezembro

Alec Baldwin entrega telefone à polícia após mandado de busca emitido em dezembro

O ator de 63 anos entregou "voluntariamente" o telefone às autoridades após um mandado de busca de dezembro. Investigação sobre trágico acidente no set de "Rust" continua em curso.

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Alec Baldwin entregou na sexta-feira de manhã, 14 de janeiro, o telefone às autoridades do condado de Suffolk, em Nova Iorque, na sequência de um mandado de busca emitido a 16 de dezembro — os dados relevantes serão enviados para os investigadores em Santa Fé.

Em causa está a investigação ainda a decorrer após o trágico acidente com uma arma de fogo no set da rodagem do filme “Rush”, no Novo México, que vitimou a diretora de fotografia Halyna Hutchins e provocou ainda ferimentos no realizador Joel Souza em outubro do ano passado.

“Acidente trágico.” Tiro de Alec Baldwin com arma de adereço mata diretora de fotografia e fere realizador

Aaron Dyer, advogado do ator de 63 anos, afirmou à People, através de um comunicado, que Alec Baldwin “entregou voluntariamente” o telefone para que as autoridades possam terminar a investigação em curso, e fez questão de reforçar: “Este assunto não é sobre o telefone dele, e não há respostas no seu telefone”.

O ator “não fez nada errado”, lê-se no comunicado, com o advogado a reiterar que “está claro” que o ator foi informado que recebera uma “arma fria” (tradução literal da expressão “cold gun”, que significa que a arma em questão não tem balas e pode ser utilizada) e que “estava a seguir a instruções quando esse trágico acidente ocorreu”. “A verdadeira questão que precisa de ser respondida é como é que as balas chegaram ao set.”

Alec Baldwin. Uma overdose, sucesso depois dos 50 e um acidente mortal que pode mudar tudo

Este desenvolvimento acontece um dia depois de um comunicado das autoridades ter indicado que o ator ainda não tinha cedido o telefone. No último sábado, o ator tinha dito que o processo para cumprir o mandado de busca era complicado e que estava a cooperar com a investigação. “Qualquer sugestão de que eu não estou a cumprir pedidos, ordens, exigências ou mandados de busca sobre o meu telefone (…) é mentira”, disse num vídeo publicado no Instagram.

Alec Baldwin: “Não premi o gatilho. Alguém pôs uma bala verdadeira na arma”

No início de dezembro, na sua primeira grande entrevista depois do trágico acidente no set de “Rust”, insistiu que “nunca apontaria uma arma a alguém” e que não sabe como é que a bala ali foi parar. Questionado por George Stephanopoulos, Baldwin disse mesmo: “O gatilho não foi premido. Eu não premi o gatilho”.

NewsItem [
pubDate=2022-01-15 17:58:14.0
, url=https://observador.pt/2022/01/15/alec-baldwin-entrega-telefone-a-policia-apos-mandado-de-busca-emitido-em-dezembro/
, host=observador.pt
, wordCount=402
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_01_15_1983736573_alec-baldwin-entrega-telefone-a-policia-apos-mandado-de-busca-emitido-em-dezembro
, topics=[celebridades, cinema]
, sections=[vida]
, score=0.000000]