tek.sapo.pttek.sapo.pt - 14 jan. 16:31

NATO promete acordo de cooperação cibernética após ataque informático à Ucrânia

NATO promete acordo de cooperação cibernética após ataque informático à Ucrânia

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, condenou o ciberataque sofrido hoje pela Ucrânia e anunciou que nos próximos dias a Aliança Atlântica assinará um acordo de cooperação cibernética com Kiev.

"Condeno veementemente os ataques cibernéticos contra o Governo ucraniano", disse Stoltenberg num comunicado, acrescentando que a NATO vem trabalhando "de perto com a Ucrânia há anos para ajudar a aumentar as suas defesas cibernéticas".

Kiev anunciou hoje ter sofrido um ciberataque contra várias páginas governamentais na Internet - incluindo as do Gabinete de Ministros e do Ministério dos Negócios Estrangeiros, mas garantiu que os dados pessoais dos cidadãos estão seguros e não foram afetados.

Stoltenberg lembrou que os especialistas cibernéticos da NATO em Bruxelas "têm trocado informações com os seus colegas ucranianos sobre as atuais atividades cibernéticas maliciosas" e que especialistas aliados naquele país "também estão a apoiar as autoridades ucranianas no terreno".

Websites do governo ucraniano hackeados em ciberataque de grande escala Ver artigo

O secretário-geral da NATO disse ainda que, nos próximos dias, a sua organização e a Ucrânia assinarão um “acordo sobre cooperação cibernética", que incluirá o acesso de Kiev à plataforma de troca de informações de ‘malware’ dos aliados.

O ataque cibernético ocorre no meio de um clima de escalada de tensões entre Kiev e Moscovo, que concentrou um número significativo de forças militares russas ao longo das fronteiras ucranianas. A Ucrânia e os seus aliados ocidentais acusaram repetidamente equipas de piratas informáticos russos de realizar ataques coordenados contra a sua infraestrutura estratégica, o que Moscovo nega.

Também hoje o chefe da diplomacia europeia condenou hoje um ciberataque de que a Ucrânia foi alvo na última madrugada e disse que a União Europeia vai “mobilizar todos os recursos” para ajudar Kiev.

União Europeia vai mobilizar recursos para ajudar governo ucraniano após ciberataque Ver artigo

“Infelizmente, já esperávamos que isto pudesse acontecer. Evidentemente, não podemos apontar o dedo a ninguém, pois não temos provas, mas podemos imaginar” quem está por detrás do ciberataque, disse Josep Borrell, à entrada para uma reunião informal de ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 da União Europeia (UE) em Brest, França, marcada precisamente pelas tensões a leste, entre Ucrânia e Rússia.

Borrell adiantou que foi já convocada hoje de manhã uma reunião de emergência dos embaixadores do Comité Político e de Segurança, para analisar como a UE pode reagir e “prestar assistência técnica à Ucrânia para aumentar a sua capacidade de resistência a este tipo de ataques”.

NewsItem [
pubDate=2022-01-14 16:31:42.0
, url=https://tek.sapo.pt/noticias/internet/artigos/nato-promete-acordo-de-cooperacao-cibernetica-apos-ataque-informatico-a-ucrania
, host=tek.sapo.pt
, wordCount=368
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2022_01_14_1711576077_nato-promete-acordo-de-cooperacao-cibernetica-apos-ataque-informatico-a-ucrania
, topics=[tecnologia, cibersegurança, ciberataque, ciberataques, nato, ucrânia]
, sections=[ciencia-tecnologia]
, score=0.000000]