observador.ptObservador - 26 nov. 00:06

Ser resiliente e competente não chega

Ser resiliente e competente não chega

Os profissionais de saúde não querem ser melhores tratados que as outras profissões. Devem é exigir que sejam respeitados e que tenham condições para poderem exercer a sua profissão com dignidade.

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A resiliência nada mais é do que a capacidade humana de superar as adversidades, transformando os momentos difíceis em oportunidades para aprender, crescer e mudar. As pessoas resilientes conseguem não apenas amadurecer emocionalmente, como também ficam mais fortes depois de ultrapassada a fase negativa. Conseguem adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, stress, algum tipo de evento traumático, entre outros. Não entram em surto psicológico, emocional ou físico, por encontrar soluções e estratégias para enfrentar e superar as adversidades.

Esta é a definição da palavra resiliência. E o que significa competência técnica?

As competências técnicas são as que se referem ao conhecimento adquirido pela experiência e formação profissionais… Assim, o propósito dessas competências é permitir que o colaborador utilize os meios disponíveis para executar sua função.

Depois de vermos o significado de resiliência e competências técnicas, vamos analisar porque um médico não deve ser apenas resiliente e competente técnico em simultâneo.

Será tão difícil alguém perceber o que queremos?

NewsItem [
pubDate=2021-11-26 00:06:56.0
, url=https://observador.pt/opiniao/ser-resiliente-e-competente-nao-chega/
, host=observador.pt
, wordCount=174
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_11_26_950721844_ser-resiliente-e-competente-nao-chega
, topics=[opinião, médicos]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]