eco.sapo.pteco.sapo.pt - 26 nov. 12:15

Crédito à habitação e ao consumo volta a acelerar em outubro

Crédito à habitação e ao consumo volta a acelerar em outubro

Os empréstimos aos particulares com as finalidades habitação e consumo continuaram a acelerar em outubro, com acréscimos de 4,4% e 1,7%, respetivamente, face ao período homólogo.

Os empréstimos aos particulares com as finalidades habitação e consumo continuaram a acelerar em outubro, com acréscimos de 4,4% e 1,7%, respetivamente, face ao período homólogo, anunciou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Segundo as estatísticas de empréstimos e depósitos bancários de empresas e particulares do BdP, hoje divulgadas, em outubro de 2021, a concessão de empréstimos aos particulares continuou a acelerar, tendo os empréstimos para habitação subido para 96.300 milhões de euros, mais 4,4% em relação a outubro de 2020 (contra 4,3% em setembro) e os empréstimos ao consumo avançado para 19.200 milhões de euros, mais 1,7% face ao mesmo mês de 2020 (contra 1,5% em setembro).

Em relação aos depósitos que os particulares detinham em bancos residentes, o BdP afirma que mantiveram o ritmo de crescimento de 6,9% em outubro face ao mesmo mês de 2020, ao totalizarem 169.700 milhões de euros, sublinhando que este montante engloba depósitos a prazo e depósitos à ordem.

Os depósitos à ordem representavam 47% do total dos depósitos detidos por particulares quando, há cinco anos, correspondiam a 30%, refere o BdP, considerando que esta alteração reflete o contexto de taxas de juro baixas observadas nos últimos anos e a facilidade com que os bancos se têm financiado junto do Eurosistema.

No que toca ao montante total de empréstimos concedidos pelos bancos às empresas, o BdP informa que este atingiu 76.000 milhões de euros em outubro, mais 4,9% do que em outubro de 2020 (contra 5,1% em setembro). O ritmo de crescimento destes empréstimos diminuiu pelo sexto mês consecutivo, sublinha o BdP.

Os empréstimos concedidos às empresas que pertencem aos setores mais atingidos pela pandemia — nomeadamente, comércio, alojamento e restauração, transportes e armazenagem e indústrias transformadoras — representavam, em outubro passado, 54% do total dos empréstimos às empresas. Após o fim das moratórias, estes são os setores considerados elegíveis para aceder à linha de apoio para reestruturação da dívida (“Retomar”).

Dívida cresce no alojamento e restauração

Uma análise por setor de atividade mostra que, desde o início da pandemia, os empréstimos concedidos às empresas de alojamento e restauração são os que têm crescido de forma mais expressiva, em resultado das linhas de apoio à economia, indica o BdP, adiantando que estas empresas também recorreram às moratórias, pelo que as amortizações regulares dos empréstimos estiveram suspensas, contribuindo para que o crescimento dos empréstimos fosse mais significativo desde essa data.

Os depósitos das empresas nos bancos residentes em Portugal subiram para 59.300 milhões de euros em outubro, mais 14,0% do que no mesmo mês de 2020 (contra 14,6% em setembro).

O BdP sublinha que a evolução dos empréstimos e dos depósitos é medida pela taxa de variação anual, o que significa que é calculada apenas com base no montante das transações (concessão e amortização/reembolso de empréstimos e depósitos), desconsiderando outros efeitos (por exemplo, cambiais).

NewsItem [
pubDate=2021-11-26 12:15:54.0
, url=https://eco.sapo.pt/2021/11/26/credito-a-habitacao-e-ao-consumo-volta-a-acelerar-em-outubro/
, host=eco.sapo.pt
, wordCount=463
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_11_26_1551145111_credito-a-habitacao-e-ao-consumo-volta-a-acelerar-em-outubro
, topics=[banca]
, sections=[economia]
, score=0.000000]