observador.ptobservador.pt - 25 nov. 23:22

Vacinação terá evitado a morte de mais de 14 mil portugueses com mais de 60 anos, indica estudo

Vacinação terá evitado a morte de mais de 14 mil portugueses com mais de 60 anos, indica estudo

Segundo um estudo da OMS e da ECDC, a vacinação contra a Covid-19 evitou a morte de mais de 14 mil portugueses e de milhares de europeus com mais de 60 anos. "As vacinas fazem o que prometem."

A vacinação contra a Covid-19 terá evitado a morte de 470 mil pessoas com 60 ou mais anos em 33 países europeus, incluindo Portugal, indica um estudo feito pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC, na sigla em inglês) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), “As vacinas são a maravilha da ciência moderna”, descreve Hans Kluge, diretor da OMS Europa.

O estudo apresenta estimativas para o período entre dezembro de 2020 (quando começaram as campanhas de vacinação) e novembro de 2021. Em Portugal, a administração de vacinas contra o vírus terá prevenido a morte de 14.222 pessoas com 60 ou mais anos (o total estimado para os 32 países em análise é de 469.186 vidas salvas).

“As vacinas fazem o que elas prometem, que é salvar vidas e oferecer uma proteção muito alta contra doença severa e morte”, afirmou Hans Kluge, acrescentando que em “alguns países, a taxa de letalidade teria sido o dobro do que é agora sem as medidas”. O diretor da OMS Europa deixou ainda um apelo para que todos se vacinem e também para que todos os países consigam aumentar o ritmo de inoculação, principalmente nas faixas etárias mais vulneráveis.

Ainda assim, Hans Kluge deixou um aviso: “As vacinas devem ser acompanhadas por várias medidas preventivas para manter o nível de transmissibilidade baixo”, evitando assim um confinamento.

Concretamente, o diretor da OMS Europa considera que as pessoas devem usar máscara em lugares fechados , deve-se manter o distanciamento físico e deve lavar-se as mãos com regularidade. “É importante que as autoridades tomem medidas e que façam de tudo para proteger a população, mesmo aqueles que estão completamente vacinados”, sinaliza Hans Kluge, referindo que “a vacinação diminui a mortalidade, mas não consegue reduzir a transmissão do vírus”.

De acordo com o estudo, divulgado na publicação Eurosurveillance, do ECDC, o número esperado de mortes por Covid-19 na faixa etária avaliada caiu para metade graças à vacinação (incluindo em Portugal, onde diminuiu 54%). Os autores salientam ainda que mais de metade das mortes por Covid-19 que terão sido evitadas com a vacinação sucederam nos idosos com 80 ou mais anos (261.421 vidas salvas).

O número de mortes evitadas com a vacinação foi calculado como a diferença entre a estimativa de mortes por Covid-19 ocorridas sem as vacinas administradas e o número real de óbitos reportados entre dezembro de 2020 e novembro de 2021 pelos 32 países abrangidos no estudo (ao todo foram 442.116 óbitos).

Desde o início da pandemia, o continente europeu soma mais de 1,5 milhões de mortes por Covid-19, a maioria (90,2%) de pessoas com 60 ou mais anos, indicam em comunicado conjunto a OMS Europa e o ECDC.

NewsItem [
pubDate=2021-11-25 23:22:47.0
, url=https://observador.pt/2021/11/25/vacinacao-tera-evitado-a-morte-de-mais-de-14-mil-portugueses-com-mais-de-60-anos-indica-estudo/
, host=observador.pt
, wordCount=440
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_11_25_259422621_vacinacao-tera-evitado-a-morte-de-mais-de-14-mil-portugueses-com-mais-de-60-anos-indica-estudo
, topics=[vacinas, coronavírus]
, sections=[]
, score=0.000000]