observador.ptobservador.pt - 27 out. 14:59

“5 doses de terça”. Os jantares de novembro no Ofício trazem convidados para um menu especial de comes e bebes

“5 doses de terça”. Os jantares de novembro no Ofício trazem convidados para um menu especial de comes e bebes

Em novembro, os jantares de terça-feira têm dois turnos e requerem reserva. Cada convidado fará um menu de três pratos, sendo que continuará a existir um menu reduzido do Ofício.

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já foram ossos do Ofício, quando aqui o chambão era prato regular, mas agora o Ofício passou a tasco atípico com muitos petiscos para partilhar, onde se quer “à volta da mesa, bom comer e rica gente, reboliço e boa pinga” — um mantra que não largam em momento algum. E em novembro dão-lhe continuidade, juntando aos santos da casa convidados para trabalhar de volta dos tachos e dos copos e, por isso, nas terças-feiras de novembro haverá um take over especial da cozinha com chefs, sommeliers e especialistas de coquetelaria de outros restaurantes.

Para um mês de novembro mexido, o Ofício apresenta “5 doses de terça”, isto porque uma dose não chega, que são, no fundo, cinco jantares especiais que unem os chefs do Ofício a outras figuras da gastronomia. “Quisemos dinamizar um bocadinho o Ofício e mostrar uma outra vertente para além daquela de ser só um restaurante”, conta Micael Duarte, um dos chefs do espaço que pensou no evento. “O objetivo é criar dinâmicas diferentes, até porque depois deste ano e meio de Covid que tivemos, está na altura de começarmos a conviver todos mais. E, nós chefs e cozinheiros, gostamos de estar todos juntos e partilharmos um bocado a nossa cozinha.”

A primeira dose chega já no dia 2 de novembro com os produtos da marca portuguesa Absoluto — já usados e expostos na montra no Ofício —, feitos com porco preto alentejano criado em regime extensivo e tradicional onde todos os animais nascem em contacto com a natureza, sendo criados em montados arborizados e alimentados de produtos naturais. Neste dia estará um cortador da Absoluto a laminar uma paleta no momento.

View this post on Instagram

Uma publicação partilhada por Ofício - Tasco Atípico (@oficiolisboa)

De volta dos tachos estará o chef Marin Colomès e Jenifer Duke, responsável pela loja de vinhos Rebel Rebel, em Lisboa, estará na sala com uma seleção de vinhos naturais, sparkling, brancos, tintos e vinhos laranja. No que diz respeito aos comes, o menu de Marin apresenta três pratos: fried chicken laarb com salada de coentros, hortelã e arroz tostado, uma salada de pomelo, coco tostado, camarão seco e amendoins e uns profiteroles com caramelo salgado de coco.

Apesar de o evento incluir convidados, os chefs do Ofício mantêm-se na cozinha para apresentar um menu mais reduzido do restaurante com opções como a salada de tomate e vinagrete de alface, a tosta de vieira e papada Joselito, o recheio de santola do Algarve, o tártaro de novilho com tutano, a raia no fogo com molho de ervas, o arroz de forno à antiga com carnes de fumeiro e a icónica tarte de queijo.

“Aquela história de entre chefs não se partilhar segredos e dicas já ficou para trás, acho que nos conhecemos todos muito bem e que essa ideia está ultrapassada. É preciso colaborar mais, mostrarmos o trabalho uns dos outros e partilhá-lo com quem gosta de comer”, aponta.

No dia 9 de novembro, serão Francisca Passos e Guilherme Gaspar, ambos do restaurante Pigmeu, em Campo de Ourique, a tratar da comida, enquanto Constança Cordeiro, da Toca da Raposa, trata dos cocktails com fermentados, a sua especialidade.

Seguem-se as especialidades de Natalie Castro, do Isco em Alvalade que fornece habitualmente o pão e o brioche ao Ofício, e a sabedoria vínica de Ugne Kris, do restaurante SEM, no dia 16 de novembro. A marcha segue com o chef executivo do restaurante Fogo, Manuel Liebaut, acompanhado por Thomas Domingues, o sommelier do Loco, o restaurante estrelado de Alexandre Silva. A última terça de novembro, dia 30, está entregue às habilidades de Pedro Forato, responsável pela cozinha da Mercearia do Prado, e a Inês Estrela, que é sub-chefe de sala do Prado e entusiasta de vinhos. “Chamei também pessoas que não são só chefs e sommeliers, como a Inês, porque há muita gente importante no espetro de um restaurante que não é tão conhecida e tem um papel de relevo”, explica.

O balcão das ostras deixa de expor nestes dias para passar a ser mesa de som do DJ — isto porque todas as terças a comida e a bebida são servidas também com música “para criar um ambiente diferente e mais descontraído”. O evento fica restrito à barra e à sala interior, uma vez que a esplanada não funciona nestes dias.

As doses são servidas todas as terças-feiras aos jantares, sendo que existem dois turnos horários para as respetivas refeições: das 19h às 21h30 e das 21h30 às 24h. Os lugares são limitados e, por isso, o restaurante aconselha a reserva — esta pode ser feita por email (hello@oficiolisboa.pt) ou (910 456 440).

NewsItem [
pubDate=2021-10-27 13:59:52.0
, url=https://observador.pt/2021/10/27/5-doses-de-terca-os-jantares-de-novembro-no-oficio-trazem-convidados-para-um-menu-especial-de-comes-e-bebes/
, host=observador.pt
, wordCount=774
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_10_27_685881523_-5-doses-de-terca-os-jantares-de-novembro-no-oficio-trazem-convidados-para-um-menu-especial-de-comes-e-bebes
, topics=[chefs]
, sections=[]
, score=0.000000]