James Suzman acredita que o Brexit foi um “erro massivo”, alimentado "pelas ambições de um punhado de homens da política, que conseguiram aproveitar-se de uma certa forma de orgulho".