www.dinheirovivo.ptdinheirovivo.pt - 14 jun 09:05

Valor da Copa América justifica a sua realização?

Valor da Copa América justifica a sua realização?

A Copa América começou ontem e vai durar até dia 10 de julho, véspera da final do seu primo mais novo e mais rico, o Europeu.

Inicialmente marcada, como o Euro, para 2020, a 47ª edição da mais antiga das competições entre seleções do mundo foi adiada um ano e deveria realizar-se na Colômbia e na Argentina. A Colômbia declinou, no final de maio, devido à situação política do país. A Argentina também, mas por razões sanitárias. A Conmebol, equivalente local à UEFA, virou-se então para o Brasil, que aceitou.

Com perto de 500 mil mortos por covid-19, imunização da população atrasada, 90% das urgências dos hospitais das principais cidades ocupadas e dezenas de cidades confinadas, a decisão do Governo Bolsonaro de acolher milhares de pessoas para a "festa do futebol" foi naturalmente contestada. Até pelos jogadores da seleção brasileira, que, mais inclinados a curtir férias do que a participar numa competição em queda de vigor desportivo e cuja última edição foi há meros dois anos, só à última hora aceitaram participar.

Posto isso, a pergunta que os economistas colocam é a seguinte: se do ponto de vista sanitário, social, político e até desportivo a realização da Copa América parece penalizadora, será que o lado financeiro justifica todos os sacrifícios?

O blogue de Rodrigo Capelo, no site Globoesportes, tentou responder à questão. E a resposta é não. Em 2019, ano da última Copa América, a prova representou só 25% da faturação da Conmebol, o equivalente a perto de 120 milhões de dólares, um terço do valor arrecadado com a Champions local, a Taça dos Libertadores da América. O organismo, entretanto, tem 67 milhões parados nos seus cofres e 110 milhões em aplicações financeiras - não está falido ou à beira de falir.

Além do mais, a Copa América investe os seus lucros (quase todos provenientes dos direitos de TV e dos patrocínios) nela própria em forma de prémios - afinal, a Conmebol, ao contrário dos clubes, não tem salários milionários para pagar a jogadores.

Este dado serve, sobretudo, para responder ao argumento do governo brasileiro para a realização do evento: se o Brasileirão e a Libertadores se jogam, porque não a Copa América? Porque se o Brasileirão e a Libertadores pararem, os clubes vão à falência e o mercado do futebol colapsa - daí se defender a sua realização, desde que mantidos todos os cuidados. Se a Copa América parar, a Conmebol não vai à falência, nem o mercado colapsa - é mais provável colapsar o sistema de saúde do Brasil durante a prova.

NewsItem [
pubDate=2021-06-14 08:05:00.0
, url=https://www.dinheirovivo.pt/economia/valor-da-copa-america-justifica-a-sua-realizacao-13824772.html
, host=www.dinheirovivo.pt
, wordCount=393
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_06_14_241519567_valor-da-copa-america-justifica-a-sua-realizacao
, topics=[dinheiro em campo, economia, futebol]
, sections=[desporto, economia]
, score=0.000000]