observador.ptobservador.pt - 5 mai 00:33

Funeral de Julião Sarmento na sexta-feira

Funeral de Julião Sarmento na sexta-feira

O velório vai decorrer na quinta-feira, das 18h00 às 22h00, no Picadeiro Real, do antigo Museu dos Coches, na Praça Afonso Albuquerque, em Lisboa.

O funeral do artista plástico Julião Sarmento, que morreu esta terça-feira, em Lisboa, aos 72 anos, realiza-se na sexta-feira, às 11h00, do Picadeiro Real, em Belém, para o Cemitério do Alto de São João, na capital.

Fonte da Galeria Cristina Guerra acrescentou, à agência Lusa, que o velório vai decorrer na quinta-feira, das 18h00 às 22h00, no Picadeiro Real, do antigo Museu dos Coches, na Praça Afonso Albuquerque, em Lisboa.

Figura central da arte portuguesa desde 1970, Julião Sarmento foi dos primeiros a alcançar amplo reconhecimento nacional e internacional, tendo realizado, ao longo de uma carreira de 50 anos, dezenas de exposições individuais e participado em coletivas, em Portugal e no estrangeiro.

Fotogaleria. A obra de Julião Sarmento em imagens

Marcou presença em grandes certames internacionais dedicados à arte contemporânea, como a Documenta de Kassel (1982, 1987), para a qual foi o primeiro artista português convidado, e nas Bienais de Paris (1981), Veneza (1980, 2001, 2010) e São Paulo (1992, 2002). Representou Portugal na Bienal de Arte Veneza em 1997.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Foi distinguido com o Prémio Internacional Il Lazio, de Itália, em 2009, e venceu, em 2012, o Prémio da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), na área das artes visuais, o Prémio Universidade de Coimbra, em 2009, o Prémio de Artes Casino da Póvoa, em 2013, e a Medalha de Prata de Mérito Municipal, de Sintra, em 1997.

Em Portugal, a obra de Julião Sarmento teve importantes exposições retrospetivas na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, em 1993 e em 2000, e no Museu de Serralves, no Porto, em 2012 e 2013, tendo sido alvo, no estrangeiro, de mostras relevantes, nomeadamente no Museu Rainha Sofia, em Madrid, em 1992, e no Museu Witte de Witte, em Roterdão, nos Países Baixos, em 1991.

O seu trabalho está representado em coleções de arte públicas e privadas, em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente no Centro Georges Pompidou, em Paris, no Museu de Arte Contemporânea de Serralves, no Porto, no Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia, em Madrid, no Museu Calouste Gulbenkian, em Lisboa, no Museu de Arte Moderna e no Museu Guggenheim, ambos em Nova Iorque, no Art Institute de Chicago, e na Tate Collection, em Londres. Julião Sarmento foi agraciado com o grau de Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada em 1994.

NewsItem [
pubDate=2021-05-04 23:33:13.0
, url=https://observador.pt/2021/05/05/funeral-de-juliao-sarmento-na-sexta-feira/
, host=observador.pt
, wordCount=385
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_05_04_1279596322_funeral-de-juliao-sarmento-na-sexta-feira
, topics=[cultura, óbito, arte]
, sections=[vida]
, score=0.000000]