sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 4 mai 20:59

Burkina Faso. Massacre jiadista sem precedentes

Burkina Faso. Massacre jiadista sem precedentes

Cerca de 30 pessoas terão sido mortas numa aldeia, após vários habitantes se juntarem a milícias de autodefesa.

Cerca de 30 pessoas foram massacradas e umas 20 feridas por jiadistas na aldeia de Kodyel, na província de Komandjari, no leste do Burkina Faso. O ataque, ocorrido na manhã de segunda-feira, é um dos mais sangrentos de sempre no país. E surgiu uma semana depois de dois jornalistas espanhóis e um cidadão irlandês serem assassinados na reserva natural de Pama, quando acompanhavam uma patrulha contra a caça furtiva, uma fonte de receita recorrente de grupos jiadistas.

“Aconteceu de manhã, quando algumas pessoas ainda estavam em casa”, descreveu um membro de uma milícia de autodefesa de Komandjari, à AFP. “Dezenas de homens entraram na aldeia e incendiaram as casas, enquanto outros observavam e disparavam contra as pessoas”, explicou, vendo como motivo do ataque o facto de alguns jovens se terem juntado à sua milícia. 

Os ataques têm-se tornado cada vez mais frequentes no Burkina Faso, sobretudo junto à fronteira com o Niger e o Mali. Trata-se de uma região desértica, onde nenhum Estado tem presença firme, que, nos últimos anos, se tornou em terreno fértil para várias organizações jiadistas. Bem como um ponto-chave nas rotas da cocaína, através do Saara até à Europa. 

NewsItem [
pubDate=2021-05-04 19:59:49.0
, url=https://sol.sapo.pt/artigo/733541/burkina-faso-massacre-jiadista-sem-precedentes
, host=sol.sapo.pt
, wordCount=191
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_05_04_1105141673_burkina-faso-massacre-jiadista-sem-precedentes
, topics=[burkina faso, terrorismo, crime, internacional]
, sections=[sociedade, actualidade]
, score=0.000000]