www.jornaldenegocios.ptjornaldenegocios.pt - 9 abr 07:48

Ações europeias recuam de máximos a caminho da sexta semana de ganhos

Ações europeias recuam de máximos a caminho da sexta semana de ganhos

Acompanhe aqui o dia nos mercados.
09h33 Bolsas a caminho da sexta semana de ganhos

As bolsas europeias estão a negociar em queda na última sessão da semana, aliviando dos ganhos recentes que conduziram a novos máximos históricos. Apesar da descida, as ações preparam-se para completar a sexta semana consecutiva de ganhos, a mais longa série de subidas semanais desde novembro de 2019.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 0,07% para 436,51 pontos, penalizado sobretudo pelas cotadas do setor das telecomunicações.

As ações europeias recuperaram fortemente em 2021, num raro caso de desempenho superior ao dos mercados dos EUA. Os investidores voltaram-se para ações baratas e cíclicas que dominam o mercado de ações da região, apostando numa recuperação económica global suportada pelas vacinas e pelos estímulos monetários e orçamentais. O Stoxx 600 subiu esta semana acima do recorde anterior estabelecido antes da pandemia e acumula já um ganho de 9% este ano.

Por cá, o PSI-20 cai 0,35% para 5.011,93 pontos, penalizado sobretudo pela EDP e pela Galp.  

09h24 Juros da dívida em alta na Zona Euro

Os juros da dívida portuguesa a dez anos estão a subir 2,9 pontos base para 0,256%, acompanhando a tendência de agravamento que se estende à generalidade dos países do euro. Em Espanha, a subida é de 2,6 pontos para 0,357% e na Alemanha de 2,4 pontos para -0,313%.

09h23 Ouro com primeira semana de ganhos em três

O ouro está a negociar com sinal negativo, mas prepara-se para completar a primeira semana de ganhos em três, com os investidores a digerirem os últimos sinais dados pela Fed.  

Num painel do Fundo Monetário Internacional na quinta-feira, Powell apontou para uma recuperação incompleta, prometeu pôr os EUA de volta no caminho de uma "grande economia" e minimizou o risco de a inflação ficar fora de controlo com o retrocesso da pandemia.

Os comentários chegaram depois da divulgação das atas da última reunião da Fed, que mostraram que os responsáveis estavam alinhados na necessidade de ver mais progresso na recuperação antes de reduzir sua massiva programa de compra de títulos.

Nesta altura, o ouro cai 0,52% para 1.746,88 dólares.

09h23 Dólar sobe após comentários da Fed

O dólar dos Estados Unidos está em alta ligeira, depois de Jerome Powell, presidente da Fed, ter assegurado ontem que o país vai voltar ao caminho de "uma grande economia" e ter reafirmado que as pressões inflacionistas serão temporárias, estando relacionadas com as perspetivas mais positivas para a recuperação económica.

O índice que mede o desempenho da divisa dos Estados Unidos face às principais congéneres está a somar 0,18% enquanto o euro desce 0,14% para 1,1896 dólares.

09h22 Petróleo completa quarta semana de perdas em cinco

O petróleo está em queda ligeira esta sexta-feira, dia em que deverá completar a quarta semana de quedas em cinco, numa altura em que a subida de novos casos de covid-19 em algumas geografias, como a Índia, gera preocupações quanto à evolução da procura por esta matéria-prima.

Em Londres, o Brent cai 0,49% para 62,88 dólares, enquanto em Nova Iorque o WTI recua 0,44% para 59,35 dólares.

Apesar da aceleração na distribuição de vacinas, a nível mundial, a Índia assiste a um aumento dos casos, o Japão viu-se obrigado a impor novas medidas para travar os contágios, assim como algumas regiões do Canadá, que avançaram com novas medidas de restrição.

"As preocupações com o ressurgimento do vírus em diferentes partes do globo colocarão uma pressão negativa sobre os preços", disse Kim Kwangrae, analista de commodities da Samsung Futures, em declarações à Bloomberg.

07h46 Bolsas tímidas após novos recordes

Os futuros das ações da Europa e Estados Unidos estão com variações pouco acentuadas, oscilando entre ganhos e perdas depois dos novos máximos históricos alcançados na sessão de ontem. Os futuros do Euro Stoxx 50 sobem 0,1%, enquanto os do S&P 500 estão inalterados.

Na sessão asiática, a tónica foi negativa, depois de terem sido revelados dados da inflação na China que mostram que o crescimento de preços está a acelerar. O chinês Shanghai Composite desceu 1,1%, o Hang Seng de Hong Kong perdeu 1,3%, e o sul-coreano Kospi deslizou 0,4%.

Os investidores estão assim a refletir esta crescente pressão dos preços, após as garantias de uma recuperação sem subida da inflação dadas pelo presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos, Jerome Powell.

O responsável do banco central assegurou que a autoridade reagirá se as expectativas de inflação começarem a "mover-se de forma relevante e persistente" acima dos níveis toleráveis.

Segundo a presidente da Fed de São Francisco, Mary Daly, as perspetivas dos EUA melhoraram muito, ainda que subsistam riscos de possíveis contratempos na economia global, na medida em que a distribuição da vacina "não foi tão robusta em muitos países" como seria de esperar.

NewsItem [
pubDate=2021-04-09 06:48:48.0
, url=https://www.jornaldenegocios.pt/mercados/mercados-num-minuto/detalhe/acoes-europeias-a-procura-de-direcao-apos-novos-recordes
, host=www.jornaldenegocios.pt
, wordCount=762
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_04_09_410676101_acoes-europeias-a-procura-de-direcao-apos-novos-recordes
, topics=[mercados num minuto]
, sections=[economia]
, score=0.000000]