www.jn.ptjn.pt - 8 abr 21:04

Os dez homens mais ricos do mundo num ano com mais 660 multimilionários

Os dez homens mais ricos do mundo num ano com mais 660 multimilionários

Num ano marcado por uma crise global sem precedentes, o mundo bateu um novo recorde de multimilionários. A lista anual dos mais ricos do mundo conta agora com 2775 multimilionários, mais 660 do que no ano anterior. Jeff Bezos, dono da Amazon, lidera o ranking pelo quarto ano consecutivo e há uma família portuguesa na lista.

A pandemia de covid-19 mergulhou a economia global numa recessão profunda. Mas enquanto muitas famílias enfrentaram de frente a pobreza, outras aproveitaram a conjuntura atual para aumentar a riqueza. Segundo uma estimativa da Forbes, em 2020, o mundo viu nascer um novo multimilionário a cada 17 horas.

O recorde de 2775 multimilionários foi atingido com 493 novas entradas na lista, muitas delas resultantes de colocações em bolsa de empresas, dos recordes nas cotações das ações, mas também pelo investimento no negócio das criptomoedas. Das novas entradas 210 são provenientes da China e de Hong Kong e 98 dos Estados Unidos da América. Mais de metade dos novos multimilionários são, na verdade, pessoas que já tinham saído do ranking, mas que regressaram ao grupo de elite durante este último ano.

No total, a fortuna destes multimilionários ascende, atualmente, a cerca de 11 biliões de euros, um aumento de quase 7 biliões face a 2020. De acordo com os dados da Forbes, no espaço de um ano, 86% das pessoas mais ricas do planeta viram as suas fortunas crescer.

Quem são os homens mais ricos do mundo?

Jeff Bezos é o homem mais rico do planeta com uma fortuna avaliada em 149 mil milhões de euros. O fundador da Amazon, da Blue Origin, empresa de voos espaciais que está a desenvolver foguetes para turismo comercial, e proprietário do jornal americano "The Washington Post", aumentou a sua riqueza em mais de 53 mil milhões de euros no último ano. O norte-americano, de 57 anos, viu as ações da Amazon subir como nunca devido ao aumento das compras pela internet face à pandemia de covid-19. Bezos ocupa o top do ranking da Forbes pelo quarto ano consecutivo.

PUB

O segundo lugar do pódio é de Elon Musk. O CEO da Tesla, empresa que produz e vende automóveis elétricos de alto desempenho, tem uma fortuna que ronda os 127 mil milhões de euros. Ao acrescentar mais de 106 mil milhões à sua riqueza, o engenheiro nascido na África do Sul teve uma subida vertiginosa do 31º lugar para o segundo lugar do ranking. O principal impulsionador deste crescimento foi a subida de 705% da Tesla, em ações. O empreendedor de 49 anos é atualmente um dos pioneiros na mobilidade elétrica e quer revolucionar as viagens ao espaço através da SpaceX, empresa de exploração espacial agora avaliada em mais de 62 mil milhões de euros.

O top 3 encerra com o magnata francês Bernard Arnault, que mantém a posição do ano passado. O CEO da LVMH, multinacional francesa especializada em artigos de luxo, tem uma fortuna avaliada em cerca de 126 milhões de euros. A LVMH é detentora de várias marcas entre as quais a Louis Vuitton, Christian Dior, Loewe, Guerlain, Bulgari, Hublot e a retalhista de cosméticos Sephora. Em 2020, a fortuna do francês de 72 anos quase duplicou devido a um aumento de 86% nas ações da LVMH. Em janeiro de 2021, a multinacional adquiriu a joalharia americana Tiffany & Co por mais de 13 mil milhões de dólares.

Apesar de em março de 2020 ter deixado o cargo de membro do conselho de administração da Microsoft, Bill Gates continua a pertencer à lista dos homens mais ricos do mundo. Aos 65 anos tem uma fortuna estimada em 104 mil milhões de euros e, por isso, ocupa o quarto lugar do ranking. Juntamente com a esposa, Bill Gates preside a Fundação Bill & Melinda Gates, que se dedica a criar oportunidades iguais e justas para as pessoas de todo o mundo. É um dos grandes patrocinadores do combate à pandemia de covid-19. Ao todo estima-se que Bill Gates terá gasto cerca de 300 milhões de dólares através do financiamento da investigação e de métodos de deteção e tratamento da doença. Detém ações na Microsoft, na Canadian National Railway e na Deere & Company, fabricante de tratores, e estas são as principais impulsionadoras da sua riqueza.

O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, está no quinto lugar da lista, com uma fortuna que ronda os 81 mil milhões de euros. A rede social fundada em 2004 vale agora mais 35 mil milhões de euros do que em 2020, isto porque as ações do Facebook subiram 80% no ano passado, uma vez que as pessoas passaram a utilizar muito mais as plataformas de social media para se manterem em contacto.

Aos 90 anos, Warren Buffett é o sexto homem mais rico do mundo, com uma fortuna estimada em quase 81 mil milhões de euros. É a primeira vez, desde 1993, que o empresário não aparece nos cinco primeiros lugares desta lista. No entanto, isso não significa que teve um ano mau, a riqueza do magnata cresceu mais de 24 mil milhões de euros. O americano dirige a Berkshire Hathaway, uma multinacional detentora de mais de 60 empresas, incluindo a seguradora Geico, a fabricante de baterias Duracell e a rede de restaurantes Dairy Queen. A Berkshire Hathaway tem ainda participações em empresas de topo como a American Express, a Coca-Cola Company, o Bank of America e a Apple.

O sétimo lugar no ranking é do americano Larry Ellison. Aos 76 anos, o presidente, diretor de tecnologia e cofundador da empresa de software Oracle dispõe de uma fortuna de 78 mil milhões de euros. Apesar de ter descido dois lugares no ranking, em 2020 a riqueza de Larry aumentou mais de 28 mil milhões de euros. Em 2018, o americano comprou 3 milhões de ações da Tesla, passando assim a deter uma parte de uma das maiores empresas de automóveis da atualidade.

Larry Page é o oitavo homem mais rico do momento. Aos 48 anos, o norte-americano tem uma fortuna no valor de 77 mil milhões de euros. Larry subiu cinco lugares no ranking, devido ao aumento de 34 mil milhões de euros da sua riqueza. Em 1998, cofundou a Google com o colega Sergey Brin e com ele inventou o algoritmo PageRank, que alimenta o mecanismo de busca da Google. Entre 2011 e 2015 foi o CEO da empresa mãe da Google, a Alphabet, uma holding que possui várias empresas. O americano encontra-se atualmente a financiar startups como a Kitty Hawk e a Opener. Page é também um investidor e fundador de uma empresa de exploração espacial, a Planetary Resources.

O nono lugar desta lista é de Sergey Brin. O cofundador da Google e responsável pelo algoritmo da PageRank, com Larry Page, tem uma fortuna avaliada em quase 75 mil milhões de euros. Em 2019, Sergey Brin deixou o cargo de presidente da Alphabet, empresa mãe da Google, mas permanece como acionista e administrador da empresa. Aos 47 anos, o russo com cidadania norte-americana subiu cinco lugares no ranking dos mais ricos do mundo. Especula-se que Brin seja um dos financiadores de um projeto de aviação totalmente elétrico.

O top 10 encerra com Mukesh Ambani, fundador e presidente da Reliance Industries, que tem uma fortuna de 71 mil milhões de euros. Aos 63 anos é o indiano mais rico do mundo, com diversos negócios na área dos petroquímicos, combustíveis, telecomunicações e retalho. Durante 2020, vendeu um terço da empresa de telecomunicações indiana Jio a um grupo de investidores, entre os quais se encontram o Facebook e a Google, por 20 mil milhões de dólares. O empresário deixou a 21ª posição para integrar o top 10 de pessoas mais ricas do mundo.

Os Estados Unidos da América são o país com mais multimilionários, são 724 no total, seguidos da China (incluindo Macau e Hong Kong) que é representada por 698 multimilionários. O top 5 de países com mais fortunas é completado pela ��ndia, seguida da Alemanha e por fim, a Rússia.

Na Europa, uma grande parte das fortunas mais ricas vem da indústria da moda, como é o caso de Bernard Arnault (na terceira posição) e do espanhol Amancio Ortega, dono do grupo Inditex (que inclui marcas como a Zara, Massimo Dutti, Bershka, Pull&Bear e Stradivarius) e ocupa o 11º lugar do ranking dos homens mais ricos do momento.

Ainda assim, a Alemanha lidera no número de multimilionários na Europa, com 136 pessoas na lista e as fortunas alemãs são fruto do investimento em pequeno retalho, por exemplo os donos dos supermercados Aldi e dos supermercados Lidl são os homens mais ricos da Alemanha, com fortunas entre os 36 e os 39 mil milhões de euros.

No lugar número 608, está a única família portuguesa com presença na lista de multimilionários. A família Amorim tem uma fortuna avaliada em 4,7 mil milhões de euros, um crescimento de quase mil milhões de euros em relação a 2020.

NewsItem [
pubDate=2021-04-08 20:04:00.0
, url=https://www.jn.pt/economia/os-dez-homens-mais-ricos-do-mundo-num-ano-com-mais-660-multimilionarios--13546748.html
, host=www.jn.pt
, wordCount=1412
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_04_08_67389677_os-dez-homens-mais-ricos-do-mundo-num-ano-com-mais-660-multimilionarios
, topics=[multimilion�rios, multimilionários, forbes, economia]
, sections=[economia]
, score=0.000000]