www.vidaeconomica.ptvidaeconomica.pt - 14 jan 20:35

“Presença em Portugal é um projeto de longo prazo”

“Presença em Portugal é um projeto de longo prazo”

“Naquele que é o primeiro projeto de internacionalização da Mercadona, estamos a aprender muito com os portugueses, e garantimos que a presença em Portugal é um projeto de longo prazo para a empresa”, afirma. Atualmente com 20 supermercados a funcionar em Portugal, nos distritos do Porto, Braga, Aveiro e Viana do Castelo, a empresa prevê para 2021 a abertura de oito a 10 lojas na zona norte do país. A abertura de cada supermercado supõe a criação de 60 postos de trabalho e todos os colaboradores têm contratos sem termo desde o primeiro dia. Até ao momento entre lojas, escritórios e bloco logístico, a Mercadona contratou mais de 1600 colaboradores.

Vida Económica - Qual é o balanço de ano e meio da presença da Mercadona em Portugal? Os objetivos estão a ser atingidos?
Joana Ribeiro - Fazemos um balanço extremamente positivo do primeiro ano e meio de presença em Portugal. Delineámos um plano de expansão que está a ser cumprido e que já nos fez chegar aos 20 supermercados em Portugal. Inclusivamente, também já marcamos presença no distrito de Viana do Castelo, juntando-se assim aos distritos do Porto, Braga e Aveiro.
Também não podemos deixar de salientar o ano extremamente atípico para todos, com a presença de um vírus que moldou a sociedade de forma transversal. Todavia, também nesses momentos sentimos o reconhecimento dos portugueses ao efetuarem compras nas nossas lojas, salientando as medidas de proteção que aplicámos desde o primeiro momento.
Naquele que é o primeiro projeto de internacionalização da Mercadona, estamos a aprender muito com os portugueses, e garantimos que a presença em Portugal é um projeto de longo prazo para a empresa.

VE - Quantas lojas tem hoje a Mercadona em Portugal e quantas pretende abrir em 2021 e onde? Qual é o conceito em termos de espaço e funcionalidade destas lojas?
JR - Tal como acima referi, a Mercadona tem neste momento 20 supermercados a funcionar em Portugal, nos distritos do Porto, Braga, Aveiro e Viana do Castelo. Temos previsto para 2021 a abertura de 8 a 10 lojas na zona Norte do país.
Em termos de conceito de loja, a Mercadona tem vindo a implementar em todas os seus supermercados o Modelo de Loja Eficiente da Mercadona, que reflete uma poupança energética de 40% face às lojas tradicionais. Procura também oferecer um excelente serviço para facilitar o ato de compra dos clientes através de corredores amplos de frutas e legumes e de dois modelos de carrinhos, ergonómicos e leves, que não precisam de moeda. Destaca-se também o Pronto a Comer, que em Portugal apresenta 41 opções de pratos recém-cozinhados que os clientes podem levar para casa ou comer na própria loja, numa zona de refeições exclusiva para o efeito.
As nossas lojas caracterizam-se por ter corredores amplos e confortáveis, dispõe de uma entrada de vidro duplo que evita correntes de ar, lineares específicos de leite fresco e sumos refrigerados, mural de sushi, uma charcutaria com presunto ibérico cortado e embalado no momento, uma ilha central na perfumaria para maquilhagem e uma máquina de sumo de laranja espremido na hora.

VE - Até este momento, quantas pessoas foram contratadas e quantas preveem contratar em 2021?
JR - O sucesso e a progressão que vamos tendo dia a dia, são fruto de muito trabalho por parte dos nossos colaboradores. Por esse motivo e com o objetivo de valorizar o seu contributo, fazemos de tudo para garantir que criamos emprego de qualidade e que proporcione estabilidade laboral. Para além disso, a promoção interna é uma das principais formas de que dispomos para valorizar e criar oportunidades de desenvolvimento para os nossos colaboradores, sendo que não depende da sua formação, idade, género ou qualquer outro fator deste tipo. É no fundo um recrutamento interno que visa procurar talento dentro da nossa própria empresa, para ocupar um outro cargo de responsabilidade dentro da mesma.
A abertura de cada supermercado supõe a criação de 60 postos de trabalho, sendo que todos os colaboradores têm contratos sem termo desde o primeiro dia, como é política da Mercadona. Até ao momento entre lojas, escritórios e bloco logístico podemos afirmar que já contratámos mais de 1600 colaboradores.

Gerar emprego
de qualidade

VE - A formação dos recursos humanos é um passo essencial ao sucesso da marca? Como é realizada?
JR - Sem dúvida. Trabalhar na Mercadona significa que os nossos colaboradores, mais do que alcançarem um emprego, podem construir a sua carreira nas mais variadas áreas de trabalho.Sustentado pelo Modelo Mercadona, o nosso recrutamento é feito com o compromisso de gerar emprego de qualidade, investindo na formação e desenvolvimento dos nossos colaboradores, criando assim uma equipa unida e alinhada com os nossos valores. Apostamos no talento das pessoas e destinamos importantes recursos ao seu desenvolvimento e formação, consciente de que investir no presente da equipa, na sua conciliação familiar e projeção profissional, é investir no futuro da Mercadona. Todos os colaboradores que integram os nossos quadros passam por uma etapa de formação em loja, onde contactam com o nosso Modelo de Qualidade Total, para além de lhes serem facultadas aulas de espanhol para uma melhor integração e formação especializada em cada posto de trabalho. A aposta na formação dos nossos trabalhadores significa um investimento de cerca de 50 mil euros por cada novo colaborador.
VE - Como é gerida cada loja? De forma independente ou comum?
JR - Cada uma das lojas que temos é gerida de forma independente por cada coordenador de loja, seguindo obviamente as diretrizes do modelo de gestão Mercadona.

Aquisição de 126 MG
em produtos nacionais

VE - Os abastecimentos com produtos portugueses são significativos?
JR - A Mercadona aposta num relacionamento estável, de compromisso e confiança junto dos seus fornecedores. Em 2019, a empresa contava já com mais de 300 fornecedores portugueses aos quais adquiriu 126 MJ em produtos nacionais – mais 43% do que em 2018, sendo que 90% destas compras a fornecedores comerciais portugueses foram exportados para Espanha, onde tem mais de 1600 lojas.
Também na aposta com o setor primário a empresa tem vindo a comprar, ao longo dos últimos anos, várias toneladas de produtos de origem portuguesa, tais como: pêra Rocha, maçã Royal Gala, maçã Golden, tomate, framboesas ou kiwis.

VE - Qual é o montante de investimento já realizado pela Mercadona em Portugal e quanto pretendem vir a investir? Têm alguma estimativa quanto ao retorno?
JR - Nos últimos dois anos, a Mercadona já investiu mais de 290 milhões de euros no nosso país, sendo que esta é uma realidade que pretendemos que se mantenha forte e sustentada. Desde o início que estávamos certos de que “Em Portugal, seríamos Portugueses” foi também por isso que criámos a sociedade portuguesa Irmãdona Supermercados, S.A., desta forma asseguramos que contribuímos para criar riqueza em Portugal, já que todos os impostos são pagos ao Estado Português.

“Doámos mais de 1000 toneladas de bens alimentares”

VE - A responsabilidade da marca é também um ponto importante? Que ações foram já desenvolvidas?
JR - A Mercadona assume o compromisso de “partilhar com a sociedade parte do que dela recebe”, tendo estabelecido acordos com cantinas sociais das localidades onde estão inseridas as suas 20 lojas. Até ao momento, e com apenas 20 lojas em território nacional, já doámos mais de 1000 toneladas de bens alimentares.
Assim, cada uma das lojas doa bens essenciais a uma cantina social próxima, diariamente, de segunda a sexta-feira, desde o primeiro dia em que abre as suas portas ao público. Recentemente e para assinalar a época natalícia, a Mercadona realizou uma doação especial de 80 mil quilos de bens alimentares a diversas entidades nos distritos onde está presente – Aveiro, Braga, Porto e Viana do Castelo. Esta oferta de alimentos, feita a instituições com as quais a Mercadona mantém uma relação permanente – Banco Alimentar Contra a Fome, Cáritas, Cruz Vermelha, AMI, entre outras – acontece num momento em que os pedidos de ajuda alimentar das famílias portuguesas têm vindo a aumentar.
Assim, para conseguir dar uma resposta ágil e rápida aos pedidos das instituições, a Mercadona adquiriu 80 mil quilos de bens essenciais aos seus fornecedores, que chegarão a famílias e IPSS dos quatros distritos. Massa, arroz, leite, azeite, atum e outros enlatados são alguns dos produtos que compõem esta oferta. Deste modo, a empresa ajuda a reforçar a entrega de alimentos que estas instituições realizam diariamente, numa época tão importante e tradicional como é o Natal.

VE - O que podem esperar os clientes da Mercadona em 2021, em termos de serviço, produtos e satisfação?
JR - Continuaremos a levar a cabo a nossa política de SPB – Sempre Preços Baixos, onde garantimos a máxima qualidade de produtos a preços sempre competitivos. Este é um modelo de que não abdicamos, e ao qual os portugueses vão estando cada vez mais fidelizados. Hoje, o consumidor português conhece cada vez melhor a nossa política de transparência, ou seja, sabe que todos os fornecedores são identificados nos rótulos dos produtos da nossa marca própria, e que os mesmos são desenvolvidos tendo em conta “O Chefe” – forma como internamente designamos o cliente – através de um centro de co-inovação (em Matosinhos) onde estudamos em detalhe cada produto, com a colaboração dos nossos clientes.
NewsItem [
pubDate=2021-01-14 20:35:16.0
, url=http://www.vidaeconomica.pt/vida-economica-1/publicacoes/edicao-num-1865-do-vida-economica-de-15012021/atualidade/presenca-em-portugal-e-um-projeto-de-longo-prazo
, host=www.vidaeconomica.pt
, wordCount=1396
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2021_01_14_1836138458_-presenca-em-portugal-e-um-projeto-de-longo-prazo
, topics=[economia]
, sections=[economia, actualidade]
, score=0.000000]