expresso.ptexpresso.pt - 18 out 12:19

Como é que a Europa está a tentar evitar novos confinamentos

Como é que a Europa está a tentar evitar novos confinamentos

Impor recolher obrigatório e teletrabalho, apelar a que as pessoas se mantenham em casa sempre que possível, optar por aulas à distância, encerrar bares e restaurantes ou determinar que fechem mais cedo e aplicar multas em caso de incumprimento de isolamento ou uso de máscara são algumas das estratégias europeias. O objetivo é evitar novos confinamentos, mas resta saber se estas restrições travam a transmissão

A chegar a um total de 150 mil novos casos num dia, registado na semana passada, a Europa representa agora cerca de um terço das novas infeções a nível mundial. Países como o Reino Unido, França, Países Baixos, Espanha e Rússia somam praticamente metade dos novos casos na Europa. E as subidas estão a ser tão aceleradas que países como a Alemanha viram duplicar o número de novas infeções numa semana, as estimativas no Reino Unido apontam para mais de 27 mil casos diários e França soma 120 mil por semana.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) desaconselha os confinamentos gerais pelo impacto económico e social que têm. E, conscientes desses efeitos, os governos europeus têm fugido dessa opção. Resta-lhes aplicar e apertar uma série de outras medidas, como impor recolher obrigatório e incentivar teletrabalho, apelar a que as pessoas se mantenham em casa sempre que possível, optar por aulas à distância, encerrar bares e restaurantes ou determinar que fechem mais cedo e aplicar multas em caso de incumprimento de isolamento ou uso de máscara. Saiba o que estão oito países europeus a fazer.

Covid-19. França regista novo recorde diário com 32.427 casos de infeção Com os dados das últimas 24 horas, França contabiliza 867.197 casos de infeção, indicou a agência francesa de saúde França

Com mais de 32 mil casos registados em 24 horas, França vive um aumento significativo de infeções. O presidente francês, Emmanuel Macron, declarou o estado de emergência na semana passada e impôs durante um mês um recolhimento obrigatório entre as 21h e as 6h da manhã na região de Paris e noutras oito áreas metropolitanas, como Lyon, Toulouse ou Marselha. Essa regra, anunciada na passada quarta-feira, entrou em vigor este sábado. Restaurantes, bares, cinemas e outros estabelecimentos têm de fechar até às 21h e haverá mais 12 mil polícias destacados para garantir o cumprimento destas regras. “O vírus está já por toda a França”, afirmou Macron, estimando que no final do mês as unidades de cuidados intensivos tenham uma taxa de ocupação entre os 70% e os 90%.

Reino Unido

Os novos casos têm tido uma evolução muito acentuada e as estatísticas oficiais, citadas pelo “Guardian”, apontam para 27 mil novas infeções diárias, embora haja estimativas para que cheguem às 50 mil por dia. Além disso, o país conta com a pior taxa de letalidade na Europa, com 43 mil mortes num total de 700 mil casos.

A evolução recente já levou o Governo de Boris Johnson a reforçar as restrições e a pôr em vigor confinamentos locais, mas tem existido muita pressão para que as medidas sejam ainda mais restritivas, impondo um confinamento de duas semanas, de maneira a conseguir travar a transmissão. O Governo estabeleceu três níveis de regras diferentes pelo país, aplicando o nível mais grave em locais como Liverpool - onde os bares e discotecas tiveram ordem para encerrar. Também Manchester deverá ser incluída nesse nível mais apertado.

Umas das dificuldades vividas no Reino Unido, assume o Governo, é garantir o cumprimento do isolamento. Para tentar resolver o problema, as forças policiais passaram a ter acesso aos dados das pessoas a quem as autoridades de saúde deram a indicação para estarem em isolamento profilático.

A Irlanda do Norte já anunciou um confinamento de quatro semanas, fechando as escolas durante 15 dias, como resposta a uma média de 900 novos casos diários esta semana - quase dez vezes mais do que tiveram na primeira onda em abril.

O País de Gales decidiu impedir a entrada de pessoas vindas de outras partes do Reino Unido onde o número de casos esteja a aumentar com maior intensidade. Segundo o “Guardian”, deverá ser adotado um confinamento de duas semanas, a começar no dia 23 de outubro, que prevê o encerramento de todos os estabelecimentos, exceto os de bens essenciais.

República Checa

Os bares e discotecas foram encerrados, os hospitais estão a adiar todas as cirurgias que não sejam urgentes e as aulas nas escolas estão a passar para o ensino à distância, aponta o “Guardian”.

Covid-19. Itália atinge recorde diário de infeções com 10.925 novos casos e soma 47 mortes No total, desde o início da pandemia em Itália, a 21 de fevereiro, as autoridades sanitárias italianas já detetaram 402.536 infetados com o novo coronavírus SARS-CoV-2, responsável pela covid-19 Itália

O país conta agora com quase 11 mil casos num dia. Só na região da Lombardia, duramente atingida na primeira onda da pandemia, são 2 mil diários, o que levou o governo regional a decidir encerrar todos os bares a partir da meia noite, limitando a venda de álcool e consumo em espaços públicos, e fechando os espaços de bingo. Além disso, segundo a Euronews, foi pedido às escolas secundárias que adotem horários mistos, entre ensino presencial e à distância. Na região de Campânia, no sul de Itália, as escolas foram encerradas durante duas semanas mas, a pedido dos pais, as creches ficaram abertas.

Países Baixos

O número de casos duplicou para 44 mil esta semana e o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, já deu indicação para que as pessoas usem máscaras em locais públicos. A população tem estado muito relutante em fazê-lo, uma vez que, durante muito tempo, as autoridades de saúde indicaram que o uso de máscara dava uma falsa sensação de segurança. Todos os bares e restaurantes do país devem fechar às 22 horas e os ajuntamentos estão limitados a 30 pessoas, com a maioria dos eventos desportivos suspensos, segundo aponta o “New York Times”.

Covid-19. Espanha registou mais de 15.000 novos casos e 222 mortes A região de Madrid lidera a lista de novos casos positivos, com 3.175, e um total de 276.790. Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 1.473 pessoas Espanha

Na região de Navarra, os parque infantis e parques desportivos estão encerrados desde terça-feira, e os restaurantes têm de fechar às 22h. Na Catalunha, os bares e restaurantes estarão fechados durante 15 dias, mantendo apenas opção de take-away, o número de pessoas permitido dentro das lojas foi reduzido e a lotação dos espetáculos foi reduzida. Madrid está sob estado de emergência e foi a primeira cidade europeia a entrar em confinamento no inicio deste mês, como resposta a uma subida muito intensa do número de infeções.

Bélgica

A partir de segunda-feira, a Bélgica terá um recolher obrigatório entre as 00h e as 5h da manhã. A venda de álcool está proibida a partir das 20h e os cafés, bares e restaurantes estarão encerrados durante um mês. O número de pessoas que os belgas poderão contactar - além da família - fica reduzido de três para apenas uma pessoa por mês, segundo a AP. O teletrabalho deve ser escolha prioritária. Com cerca de 12 milhões de habitantes, a Bélgica tem agora cerca de 6 mil casos por dia, em média. E regista já mais de 10 mil mortes devido à covid-19.

Covid-19. Alemanha regista 7.830 casos, novo máximo pelo terceiro dia consecutivo Os números atuais estão claramente acima dos da primavera, quando o máximo de novas infeções foi registrado em 28 de março com 6.294, mas os dados são difíceis de comparar devido ao aumento de exames realizados que faz com que mais casos sejam descobertos Alemanha

Perante quase 8 mil casos num dia, a chanceler Angela Merkel apelou à população alemã que permaneça em casa sempre que seja possível. “As próximas semanas vão decidir o que acontecerá no inverno e no Natal”, apontou Merkel, citada pela imprensa internacional. Além disso, a responsável pede ainda que as festas sejam canceladas e que se evitem todas as viagens que não sejam fundamentais.

NewsItem [
pubDate=2020-10-18 11:19:33.0
, url=https://expresso.pt/internacional/2020-10-18-Como-e-que-a-Europa-esta-a-tentar-evitar-novos-confinamentos
, host=expresso.pt
, wordCount=1266
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2020_10_18_814413525_como-e-que-a-europa-esta-a-tentar-evitar-novos-confinamentos
, topics=[internacional]
, sections=[actualidade]
, score=0.000000]