expresso.ptexpresso.pt - 18 out 19:04

Vacinas da covid-19. Ensaios revelam um nível baixo de eficácia

Vacinas da covid-19. Ensaios revelam um nível baixo de eficácia

OMS afirma ser desejável uma proteção superior a 70%, mas até agora os resultados conhecidos estão pouco acima de 50%

O sucesso e o fracasso podem ser ditados pela expectativa e é ela que está a guiar o mundo para a possibilidade de existir em breve uma vacina contra o coronavírus pandémico. A comunidade científica está empenhada, como nunca, em conseguir fazer a descoberta, e em tempo recorde, mas os resultados dos ensaios que começam a surgir são pouco animadores. Para já, as vacinas têm um nível de proteção ligeiramente acima do mínimo exigível e todos nós poderemos ter de continuar com máscara.

Das mais simples às mais complexas, todas as vacinas precisam de ter um mínimo de 50% de eficácia para serem avaliadas e aprovadas pelas agências de medicamentos em todo o mundo. A fasquia é baixa, ou seja, significa que só metade das pessoas vacinadas não vai contrair a doença para a qual foi protegida, e por isso a Organização Mundial da Saúde já fez saber que o desejável seria uma vacina com 70% ou mais de imunização. Os dados que vão sendo conhecidos não chegam lá: até agora, variam entre os 50% e os 60%.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

NewsItem [
pubDate=2020-10-18 18:04:39.0
, url=https://expresso.pt/sociedade/2020-10-18-Vacinas-da-covid-19.-Ensaios-revelam-um-nivel-baixo-de-eficacia
, host=expresso.pt
, wordCount=189
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2020_10_18_295315988_vacinas-da-covid-19-ensaios-revelam-um-nivel-baixo-de-eficacia
, topics=[sociedade]
, sections=[sociedade]
, score=0.000000]