expresso.ptexpresso.pt - 18 out 08:52

OE 2021. IRC vence por um a zero às empresas

OE 2021. IRC vence por um a zero às empresas

Se os empresários já estavam desanimados, a proposta de Orçamento do Estado para 2021 não veio reduzir o pessimismo perante o próximo ano. Faltam medidas efetivas e que abranjam todos os sectores de atividade, sem discriminar negócios tendo em conta a sua dimensão

Depois do adiamento de algumas obrigações fiscais, da suspensão de processos de execução fiscal, da possibilidade de pagar impostos e contribuições sociais a prestações — tudo medidas temporárias e sem impacto na receita do Estado —, das linhas de empréstimos e de dois tipos de lay-off, chega uma proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE-2021) em que não só é mantida a carga fiscal sobre as empresas como não existem iniciativas com impacto abrangente e efetivo para os vários sectores de atividade.

Entretanto, o balão de oxigénio vai mirrando com o fim de alguns apoios e o futuro afigura-se sombrio perante o tardar da retoma económica. Mesmo assim, o Executivo espera obter de IRC, o imposto direto sobre as empresas, mais 29% no próximo ano (cerca de €5,1 mil milhões face ao valor estimado para 2020, mas longe dos mais de €6,3 mil milhões de 2019).

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

NewsItem [
pubDate=2020-10-18 07:52:58.0
, url=https://expresso.pt/economia/2020-10-18-OE-2021.-IRC-vence-por-um-a-zero-as-empresas
, host=expresso.pt
, wordCount=159
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2020_10_18_1927430739_oe-2021-irc-vence-por-um-a-zero-as-empresas
, topics=[economia]
, sections=[economia]
, score=0.000000]