expresso.ptexpresso.pt - 18 out 15:48

Sem confinamento, como se trava a evolução dos casos? Baltazar Nunes, epidemiologista do Instituto Ricardo Jorge, responde

Sem confinamento, como se trava a evolução dos casos? Baltazar Nunes, epidemiologista do Instituto Ricardo Jorge, responde

Há quatro grandes áreas onde é preciso intervir para travar a transmissão da epidemia sem mandar as pessoas para casa. Só numa delas é que não é possível aplicar novas medidas - na suscetibilidade da população ao vírus. Modelos matemáticos vão ajudar decisores a escolher medidas

Tal como vários outros países europeus, também Portugal enfrenta uma subida exponencial de novas infeções de covid-19. Em quatro dias consecutivos os casos confirmados ficaram acima de 2 mil e as estimativas dos peritos apontam para a possibilidade de o país chegar aos 3 mil casos para a semana e, a meio de novembro, subir para 4 mil novas infeções por dia. Os novos confinamentos gerais têm sido postos de parte pela generalidade dos países, devido ao seu impacto na atividade económica e, consequentemente, nas condições de vida das populações.

NewsItem [
pubDate=2020-10-18 14:48:52.0
, url=https://expresso.pt/sociedade/2020-10-18-Sem-confinamento-como-se-trava-a-evolucao-dos-casos--Baltazar-Nunes-epidemiologista-do-Instituto-Ricardo-Jorge-responde
, host=expresso.pt
, wordCount=91
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2020_10_18_1633819671_sem-confinamento-como-se-trava-a-evolucao-dos-casos-baltazar-nunes-epidemiologista-do-instituto-ricardo-jorge-responde
, topics=[sociedade]
, sections=[sociedade]
, score=0.000000]