expresso.ptJosé Gameiro - 17 out 10:19

Quadro permanente

Quadro permanente

É raro encontrar um piloto que reconhece que tem medo. Ia descolar para o voo turbulento

Não vinha fardado, mas tinha alguma coisa de militar. Talvez a postura, o corte de cabelo, a marcha? Já lá vão muitos anos sobre a minha passagem pelas fileiras, numa experiência inesquecível, felizmente, já com cabelos brancos e como médico. Sentou-se, fiz-lhe a pergunta habitual: O que é que o traz cá? Ficou em silêncio uns segundos, comovido. “A minha vida está toda de pernas para o ar. Tinha uma vida tão equilibrada e, de repente, tudo mudou. Tem tempo?” Acenei com a cabeça que sim.

“Fui e sou militar, já estou na reserva há uns anos, mas, sabe como é, uma vez militar, toda a vida militar. Tive uma carreira de que não me posso queixar, cheguei quase ao topo. Voei em quase todos os aviões do meu tempo. Lembra-se, já lá vão uns anos, de uma patrulha de A7, ali na zona de Monte Real, que o chamaram pelo rádio e depois fizeram umas ‘brincadeiras’ à sua volta? Pela matrícula vi quem ia a pilotar e agora decidi vir falar consigo.” Aqui tive de me conter para não lhe perguntar sobre as aventuras no ar, iríamos passar a consulta a falar de voos.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

NewsItem [
pubDate=2020-10-17 09:19:17.0
, url=https://expresso.pt/opiniao/2020-10-17-Quadro-permanente
, host=expresso.pt
, wordCount=206
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2020_10_17_212977729_quadro-permanente
, topics=[opinião]
, sections=[opiniao]
, score=0.000000]