rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 17 out 18:50

Merkel pede aos alemães que fiquem em casa. Presidente em quarentena

Merkel pede aos alemães que fiquem em casa. Presidente em quarentena

A Alemanha registou 7.830 novas infeções por coronavírus neste sábado, o que representa um novo máximo pelo terceiro dia consecutivo.

Veja também:

A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu este sábado aos alemães para que permaneçam em casa o máximo possível tendo em conta o aumento dos casos de contágio do coronavírus nos últimos três dias. O Presidente Frank-Walter Steinmeier entrou hoje em quarentena após um dos seus guarda-costas ter testado positivo à covid-19.

"Por favor, fiquem o máximo de tempo possível em casa e no lugar onde vivem. Eu sei que além de soar severo, representa um duro sacrifício", disse a chanceler na sua habitual mensagem de vídeo de fim de semana.

Merkel apelou também para que os alemães reduzam o número de contactos com pessoas conhecidas "dentro e fora de casa", e que sejam dispensadas "quaisquer viagens que não sejam estritamente necessárias", e "qualquer festa que não seja estritamente necessária".

A chancelar disse que esses sacrifícios devem ser feitos em interesse próprio e no interesse da sociedade para permitir que escolas e jardins de infância continuem abertos e para que a economia e os empregos não sejam mais afetados.

A Alemanha, de acordo com Merkel, está numa fase difícil da pandemia e as infeções estão a aumentar mais rápido do que na primavera.

"A forma como vamos viver o inverno e como vamos festejar o Natal é algo que vai ser decidido nestes dias. Temos que fazer de tudo para que o vírus não se espalhe de forma descontrolada.

Cada dia é importante e todos podem contribuir mantendo a distância, respeitando padrões de higiene e uso de máscaras ", afirmou.

"Mas é preciso ir mais longe: a ciência mostra-nos que a disseminação do vírus está relacionada ao número de contatos que temos", acrescentou.

Presidente em quarentena após contacto de risco

O presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, entrou este sábado em quarentena após um dos seus guarda-costas ter testado positivo à covid-19, anunciou um dos seus porta-vozes.

"O presidente ficou hoje em quarentena, porque um guarda-costas testou positivo à covid-19", disse à AFP um dos seus porta-vozes.

O guarda-costas infetado faz parte do comando do escritório federal da polícia criminal e é uma pessoa de contacto de primeiro grau do presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, de 64 anos.

A Alemanha registou 7.830 novas infeções por coronavírus neste sábado, o que representa um novo máximo pelo terceiro dia consecutivo, segundo os números do Instituto Robert Koch (RKI) de virologia.

Desde o início da pandemia, a Alemanha teve 356.387 infeções confirmadas. 9.767 pessoas morreram e o RKI estima que 287.600 superaram a doença.

Os números atuais são claramente superiores aos da primavera, quando o máximo de novas infeções foi registrado em 28 de março com 6.294, mas os dados são difíceis de comparar devido ao aumento de exames realizados que faz com que mais casos sejam descobertos. Na semana passada, Angela Merkel reuniu-se com chefes de governo dos 16 estados federais para coordenar medidas contra o aumento da pandemia.

NewsItem [
pubDate=2020-10-17 17:50:36.0
, url=https://rr.sapo.pt/2020/10/17/mundo/merkel-pede-aos-alemaes-que-fiquem-em-casa-presidente-em-quarentena/noticia/211341/
, host=rr.sapo.pt
, wordCount=492
, contentCount=1
, socialActionCount=0
, slug=2020_10_17_1967779159_merkel-pede-aos-alemaes-que-fiquem-em-casa-presidente-em-quarentena
, topics=[informação, mundo]
, sections=[actualidade]
, score=0.000000]