expresso.ptexpresso.pt - 17 set 08:40

“Até o toque me emociona, este toque que acabámos de ouvir. Isto fez-me falta”: o regresso às aulas na Luís de Camões

“Até o toque me emociona, este toque que acabámos de ouvir. Isto fez-me falta”: o regresso às aulas na Luís de Camões

A Escola Básica Luís de Camões, em Lisboa, retomou esta quarta-feira as aulas presenciais. Entre os alunos que chegam a um espaço novo e os que já o reclamam como seu, a azáfama habitual de um regresso às aulas é agora acentuada pela pandemia de covid-19. Os assistentes operacionais estão na linha da frente desse trabalho, ainda que nem sempre se sintam reconhecidos pela tutela. O Expresso visitou esta escola à boleia da encarregada de pessoal

“Menina Carla, como é que eu faço com o almoço?”, pergunta uma aluna do 9.º ano no intervalo das 10h da manhã. A “menina Carla” resolve a situação prontamente. “Menina, há wi-fi na escola?”, pergunta uma aluna do 5.º ano, que esta quarta-feira teve o seu primeiro dia de aulas numa escola nova, depois da receção na véspera. Na Escola Básica Luís de Camões, em Lisboa, as “meninas” são as assistentes operacionais. Atualmente a funcionar com 13, esta escola ainda não foi contemplada pelo reforço prometido pelo Ministério da Educação. Aliás, desde junho houve duas aposentações e três baixas médicas, pelo que o estabelecimento de ensino entrou no novo ano letivo com um número de assistentes operacionais inferior ao que tinha em março, antes da pandemia de covid-19.

1
1