expresso.ptexpresso.pt - 17 set 09:34

Sondagem. 87,6% diz que justiça devia aproveitar conhecimento de Rui Pinto. 81,6% não confia que os culpados do BES serão punidos

Sondagem. 87,6% diz que justiça devia aproveitar conhecimento de Rui Pinto. 81,6% não confia que os culpados do BES serão punidos

Inquérito realizado pela Intercampus para o “Jornal de Negócios” e “Correio da Manhã” aponta ainda que 53,1% dos participantes vê o denunciante português como um herói

A justiça devia aproveitar os conhecimentos e as competências de Rui Pinto para combater o crime. É esta a conclusão de uma sondagem feita este mês pela Intercampus, para o “Jornal de Negócios” e “Correio da Manhã”.

No inquérito, 87,6% das pessoas considera que a justiça devia usar o que o denunciante português sabe e apenas 6,5% considera que não. Dos inquiridos, 5,9% diz não saber ou não querer responder à questão. Rui Pinto, denunciante dos casos Football Leaks e Luanda Leaks, divulgou informação e documentos sigilosos que ajudaram a expor vários crimes, como fraudes fiscais e corrupção no mundo do futebol. A maioria (53,1%) dos inquiridos vê o denunciante como um herói, e 19,2% como um vilão.

Há outra conclusão da sondagem da Intercampus: 81,6% não acredita que a justiça vá conseguir punir os culpados pelos buracos financeiros do BES. Por outro lado, 13,4% confiam que sim, 5% dizem não saber ou não querer responder.

FICHA TÉCNICA

Universo da sondagem: População portuguesa, com 18 e mais anos de idade, eleitoralmente recenseada, residente em Portugal Continental. Amostra: A amostra é constituída por n=614 entrevistas, com a seguinte distribuição proporcional por Género, Idade e Região: 292 homens; 322 mulheres. Idades: 132 entre 18 a 34 anos; 225 entre 35 a 54; e 257 com 55 ou mais anos. Regiões: Norte com 230 entrevistas; Centro com 143; Lisboa com 167; Alentejo com 46; e Algarve com 28. Seleção da amostra: Através da geração aleatória de números de telefone fixo / móvel. Os trabalhos de campo decorreram de 04 a 09 de Setembro de 2020. Margem de Erro: O erro máximo de amostragem deste estudo, para um intervalo de confiança de 95%, é de mais ou menos 4,0%. Taxa de resposta: 63%.

1
1