ionline.sapo.ptionline.sapo.pt - 17 set 10:43

Borac Banja Luka. Os trabalhadores e lutadores que venceram a última Copa Mitropa

Borac Banja Luka. Os trabalhadores e lutadores que venceram a última Copa Mitropa

1992 foi um grande ano para o adversário de hoje do Rio Ave na Liga Europa: conquistou a derradeira de uma das grandes provas europeias.

Em 1992, a Copa Mitropa já não tinha o brilho do tempo da sua instituição, datada de 1927: primeira grande competição europeia de clubes que juntava os campeões dos países do centro da Europa – Hungria, Itália, Checoslováquia, Jugoslávia, Roménia, de vez em quando Alemanha. Muito, muito antes de nascer a Taça dos Campeões, a Mitropa era o lugar onde se debatia a qualidade do futebol internacional, já que os ingleses teimavam em não se misturar, vítimas do seu idiossincrático complexo de prioridade, e Espanha e Portugal ficavam demasiado longe para as equipas que tinham de se deslocar de comboio e autocarro. Entretanto, surgiu a Taça Latina, para pôr frente a frente os campeões de Itália, França, Espanha e Portugal, mas a Copa Mitropa foi-se mantendo imperial até ao momento que a Taça dos Campeões secou tudo à sua volta como um gigantesco eucalipto.

O adversário que o Rio Ave irá defrontar hoje para a pré-eliminatória da Liga Europa é um dos que têm o nome inscrito na lista dos vencedores da Mitropa, e só isso deve dar-lhe a importância que merece: Borac_Banja Luka. Esqueçam se o nome vos provoca cãibras na língua: fundado em 4 de julho de 1926 com o nome de Radnicki Sportski Club Borac, que significa, numa tradução à letra, Clube de Trabalho e Desporto dos Lutadores. Banja Luka é, como se percebe, a cidade-sede desta organização que pertence hoje em dia à Bósnia-Herzegovina, após a dissolução da federação jugoslava erguida pela força de vontade de um homem chamado Josip Broz Tito.

 Os Balcãs têm sido, ao longo da história, uma espécie de erupção política vulcânica constante. Se mergulharmos um pouco na vida deste Borac que irá defrontar a equipa vilacondense, percebemos que viveu os melhores anos da sua existência entre 1960 e 1992, ainda como clube jugoslavo, naturalmente. Em 1961 subiu à i divisão e conseguiu construir uma equipa verdadeiramente competitiva, sobretudo quando esteve sob a supervisão de dois treinadores especiais, Husnija Fazlic e Zoran Smileski, responsáveis por dois triunfos incontornáveis, o da Taça da Jugoslávia, ganha por 1-0 ao Estrela Vermelha, e o da Copa Mitropa, ganha ao Budapesti Vasutas no desempate por grandes penalidades.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

1
1