ionline.sapo.ptionline.sapo.pt - 17 set 10:38

15 de setembro de 1954. A morte escolheu um apeadeiro para subir a bordo

15 de setembro de 1954. A morte escolheu um apeadeiro para subir a bordo

O comboio rápido n.º 8012, que fazia o percurso entre Vila Real de Santo António e o Barreiro, ia em excesso de velocidade quando um dos carris cedeu à sua passagem, perto de Saboia. Mais de 30 mortos e 50 feridos numa tragédia que marcou o país.

Dois dias depois da tragédia, ela continuava na boca do povo ao mesmo tempo que se iam contando os cadáveres. Um acidente ferroviário, ocorrido a meio da tarde do dia 13 de setembro de 1954, entre as estações de Saboia e do Pereiro, a quatro quilómetros da primeira e três da segunda, arrastara para a morte mais de 30 pessoas. Facto 1: o serviço rápido com o n.o 8012 partiu de Vila Real de Santo António às 13 horas e 13 minutos com destino ao Barreiro. Facto 2: a composição era formada pela locomotiva a vapor número 559, por um furgão, três carruagens de terceira classe, um vagão-restaurante e duas carruagens de primeira classe – todas as carruagens eram metálicas e tinham sido construídas nos Estados Unidos pela empresa Budd Company. Facto 3: às 16h15, a composição descarrilou quando um dos carris da via se partiu à sua passagem, no quilómetro 261,427.70 entre o apeadeiro de Pereiro e a Estação de_Santa Clara/Saboia, junto a uma curva que ladeia a ribeira de Lobata. Facto 4: a locomotiva galgou a via e caiu para a vala entre a linha e a parede da trincheira, arrastando consigo a primeira carruagem de terceira classe e estacando de seguida. Facto 5: a segunda carruagem de terceira classe penetrou na carruagem caída, destruindo metade desta.

O relatório foi conciso. A morte, como sempre, escolhe os desfavorecidos do mundo. Não morreu ninguém que viajasse nas carruagens de primeira classe.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

1
1