expresso.ptexpresso.pt - 17 set 00:00

Lula defende Bolsonaro e diz que Moro é “desequilibrado” e “medíocre”

Lula defende Bolsonaro e diz que Moro é “desequilibrado” e “medíocre”

Sobre a alegada interferência do atual Presidente na Polícia Federal, Lula disse: “É importante lembrar que que o Presidente da República tem o direito de indicar o diretor da Polícia Federal, sim. Eu indiquei duas vezes e nunca pedi nem orientei porque eles têm autonomia. E porque o Moro achava que ele podia e Bolsonaro não podia? Tenta ganhar a opinião pública mentindo outra vez”

Numa cambalhota imprevista no guião político brasileiro, o ex-Presidente Lula da Silva defendeu o Presidente Jair Bolsonaro contra as acusações de interferência na Polícia Federal, conta a “Veja”.

Lula deu uma entrevista por vídeo a um blogue de esquerda menos de 48 horas depois de ter sido denunciado pela quarta vez pela task force do Panamá que conduz a Lava Jato, por lavagem de dinheiro de donativos da Odebrecht. O juiz responsável pela sua queda, Sérgio Moro, que mais tarde foi ministro da Justiça de Bolsonaro, esteve na mira do ex-governante. “Desequilibrado” e “medíocre” foram alguns dos termos utilizados por Lula para definir Moro.

Lula comentou ainda a aproximação de Moro a Bolsonaro e também o momento em que o agora ex-ministro da Justiça apresentou a demissão e acusou o atual Presidente de interferir nos assuntos da Polícia Federal. “Ele poderia ter demonstrado seriedade quando virou bolsonarista. Ele é tão medíocre que quando saí ele tenta criar mais uma pirotecnia com o apoio da Globo”, disse na entrevista, citado pela “Veja”.

E continuou: “Ah, eu vou sair porque Bolsonaro quer indicar o diretor-geral da Polícia Federal. É importante lembrar que que o Presidente da República tem o direito de indicar o diretor da Polícia Federal, sim. Eu indiquei duas vezes e nunca pedi nem orientei porque eles têm autonomia. E porque o Moro achava que ele podia e Bolsonaro não podia? Tenta ganhar a opinião pública mentindo outra vez”, acusa Lula, que assim se coloca do lado de Jair Bolsonaro relativamente ao inquérito aberto pelo Supremo.

Mas Lula não se ficou por aí: “Se alguém tivesse feito um teste psicotécnico ao Moro, iriam descobrir que ele é um desequilibrado. Ficou tão envaidecido pela pirotecnia que a Globo fez com ele, a tentar vendê-lo como um ser humano superior, um ser maior, que ele quebrou a cara”.

E, garantindo que não sente o ódio por Moro que Moro sente por ele, finalizou: “Como pessoa humana, quero que ele seja tratado com o respeito que eu não fui por ele. Ele que siga a vida dele. Se quiser ser candidato a Presidente, tem que procurar um partido, filiar-se e fazer campanha”.

1
1