expresso.ptDaniel Oliveira - 15 set 08:21

As reações a Fátima provam que o objetivo era calar o PCP

As reações a Fátima provam que o objetivo era calar o PCP

Não se trata de justificar a Festa do Avante com Fátima. Mas, com a atual ausência de indignação, fica claro que a motivação contra o PCP nada teve a ver com saúde pública. Há quem use a pandemia para tentar limitar a liberdade política dos seus opositores. E isso é um ataque à democracia

É muito interessante comparar as reações mediáticas e partidárias a toda a preparação da Festa da Avante e a forma complacente e justificativa como foi tratado o que aconteceu em Fátima no dia 13 de setembro. Durante meses fomos massacrados com o que iria acontecer na Quinta da Atalaia. A exceção, o tratamento de favor, o crime. Até tivemos direito a cartazes insultuosos da JSD. Defendi, depois de serem conhecidas as condições em que o PCP faria a Festa, que ela não punha em risco a saúde pública e era legítima. Também fiz uma avaliação política do erro que o PCP cometia, por dispersar a sua mensagem e se ver obrigado a ficar à defesa. Mas nunca duvidei que estávamos perante uma campanha e por isso o escrevi.

1
1