expresso.ptexpresso.pt - 2 ago 16:12

Para que serve o budismo hoje?

Para que serve o budismo hoje?

Na Índia do século VI a.C., Sidarta Gautama, o buda, funda uma religião que questiona a ordem cósmica, o conhecimento de nós próprios e o destino dos seres humanos. O Oriente segue esse caminho para a sabedoria, mas o Ocidente só o reconhece bem mais tarde, tornando-se prática comum na Europa só no século XX. Como funciona e para que serve o budismo hoje? A resposta por quem o pratica

Vai de férias. Está ansioso. Teme que o tempo passe depressa demais, que o hotel que marcou não seja como o imagina, que a praia tenha gente a mais. Sonhou com uns dias perfeitos e pensa na desilusão que terá se isso não acontecer. Sofre por antecipação tudo o que pode vir aí. A adaptação à mudança não é algo que o deixe descansado. A sua mente vive em permanente agitação e isso traz-lhe um sofrimento contínuo. O excesso de expectativa implica medo e onde há medo não há tranquilidade. Isto vale para as férias como vale para a vida e para nós, o que esperamos dela e o que esperamos de nós. Esse sofrimento, no entanto, pode não existir se se souber acalmar a mente. Aquilo que a prática budista ministra há 2500 anos e que só em Portugal junta 35 mil pessoas, sendo a quinta religião mais seguida no mundo.

O budismo ensina que existe uma realização espiritual a que se chama buda ou nirvana e é a ela que os budistas aspiram. “Buda é um estado de consciência em que vivemos na nossa condição original e é livre de qualquer estado de confusão. É também pleno de sabedoria e compaixão. O budismo é o caminho para esse estado. O caminho para limpar a nossa mente de toda a confusão cognitiva e emocional para nos permitir usufruir da sabedoria e compaixão plena que é a nossa verdadeira natureza”, explica Lama Gyurme, líder da comunidade associada ao Centro de Estudos Tibetanos — Pendê Ling, no Estoril e em Alcácer do Sal.

Este é um artigo do semanário Expresso. Clique AQUI para continuar a ler.

1
1