sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 1 ago 10:30

O bêbado e o calaceiro

O bêbado e o calaceiro

Fred Lorz tinha a preguiça no sangue. Na maratona dos Jogos de St. Louis, em 1904, percorreu 17 km no carro do treinador. Ganhou, claro!

Fred era pedreiro e não há quem possa dizer que é uma profissão fácil. Também era um bocado calaceiro, o que deixava os seus patrões com a pulga atrás da orelha e os olhos sempre postos nele, não lhe desse para escapar-se na procura de uma sombra e bater uma soneca, algo em que era mais especialista do que na utilização do fio de prumo. Thomas, por seu lado, era um operário não especializado que nascera em Inglaterra e viajara muito jovem com os seus pais para uma cidade de Massachussets, nos Estados Unidos de nome profundamente britânico: Cambridge.

Thomas Hicks era mais velho que Frederick Lorz, natural de Nova Iorque. O primeiro veio ao mundo em 11 de janeiro de 1876, o segundo foi trazido à luz a 5 de junho de 1884. Haveriam de se encontrar durante o Verão de 1904, em St. Louis, Missouri e sem grandes razões para saírem desse encontro com o orgulho em alta pois entraram diretamente para desagradável lista de inesquecíveis lamponeiros da história dos Jogos Olímpicos.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do SOL. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

1
1